(31) 9 8720 -3111 [email protected]

Você agricultor, já ouviu falar do trigo mourisco ou mais conhecido como trigo sarraceno?  Se quer saber tudo sobre esse assunto leia esse artigo e entenda a grande importância que essa cultura possui.

Vamos lá!

 

Trigo Mourisco

 

A exploração pecuária tem como principal fonte de nutrientes a utilização de pastagem para produção animal, porém o período de seca acaba por afetar a obtenção de volumosos de qualidade para alimentação de ruminantes, um importante componente dentro da economia produtiva.

O trigo mourisco surge como uma oportunidade de se desenvolver sob condições de seca oferecendo forragem, grãos, feno ou silagem durante esses períodos.

A introdução do trigo mourisco no Brasil ocorreu na região sul do país, por volta do início do século XX e em 1970 houve grande incentivo da produção da cultura no Paraná, que chegou a plantar aproximadamente 1200 toneladas em 30 mil hectares/ano.

 

https://agropos.com.br/pos-graduacao-solos-e-nutricao-de-plantas/

 

Afinal, o que é trigo mourisco?

O trigo mourisco (Fagopytum esclentum Moench L.) que também é conhecido como trigo preto, trigo mouro ou ainda como sarraceno é uma planta dicotiledônea que pertence à família Polygonaceae, de origem asiática, e não apresenta parentesco com o trigo comum (Triticum spp.).

Os grãos possuem grande dureza. Os quais podem produzir uma farinha branca, que não possui glúten sendo recomendada para pessoas com intolerância ou alergia ao glúten.

Dentre os produtos sem glúten consumidos pelo homem, apresenta grande concentração de vitaminas, proteínas e sais minerais, inclusive em destaque pela qualidade de sua proteína com alto teor de lisina, um aminoácido deficiente na maioria dos cereais.

Podem ser utilizados na alimentação animal, tanto os grãos quanto a forragem, como feno ou silagem, pois alcançam o mesmo valor nutritivo que as gramíneas. Também proporcionam uma boa cobertura de solo e podem ser utilizados para rotação de cultura.

 

Característica importante

Uma de suas características mais importantes que é levada em consideração na rotação de culturas é sua rusticidade a pragas e doenças.

O trigo mourisco é uma planta de uma família diferente da maioria das plantas cultivadas no Brasil, então sendo uma ótima alternativa para se utilizar como ferramenta na quebra do ciclo biológico das principais pragas e doenças, pois não é uma planta hospedeira.

 

Trigo

 

Além do mais, o trigo mourisco é conhecido como uma planta supressora, devido a produção de exsudatos radiculares, que inibem o desenvolvimento de nematoides, como o nematoide das galhas (Meloidogyne incognita). Além da sua capacidade de inibir mais de 90% de indivíduos em fase juvenis do segundo estádio.

O trigo mourisco também atrai abelhas que são muito importantes para a polinização de várias outras plantas, devido ao seu período de floração longo.

 

Benefícios do trigo mourisco a saúde humana e animal

Benefícios do trigo mourisco a saúde humana e animal. Em virtude de não conter glúten, o trigo mourisco é uma excelente alternativa para portadores da doença celíaca.

Além disso, ele possui um maior teor de proteína do que o trigo comum, o arroz, ou o milho. É fonte de ferro (Fe), manganês (Mn) e magnésio (Mg).

Estima-se que, 200 mL de mingau feito com o trigo sarraceno contenha, aproximadamente, cerca de 86 mg de magnésio, sendo este mingau, rico em proteínas, de grande valor biológico, por possuir em sua composição aminoácidos essenciais, como a lisina.

Os seus efeitos benéficos ainda podem ser associados à presença de flavonoides, especialmente, rutina (anteriormente chamada de vitamina P) e quercetina. Os flavonoides tem ação na prevenção de doenças, além de atuarem como antioxidantes.

 

Estudos recentes têm associado a rutina com:

  • Melhoria no sistema circulatório.
  • Prevenção de formação de coágulos.
  • Redução nos níveis de colesterol, etc.

Devido a tantos benefícios, uma dieta rica em grãos, como os do trigo mourisco, por exemplo, tem potencial na prevenção doenças cardiovasculares, aterosclerose, obesidade, diabetes, entre outros.

Isto se dá em função do seu elevado teor de fibras e diversos compostos, como as gorduras poli-insaturadas.

 

Trigo Mourisco2

 

Dietas em que são consumidos pelo menos 100 g de trigo sarraceno diariamente apresentam potencial para diminuir os níveis do “mau colesterol” ou LDL e para aumentar os níveis do “bom colesterol” ou HDL.

Quando destinado a nutrição animal, o trigo mourisco apresenta excelente qualidades nutricionais, como pode ser observado abaixo:

  • Matéria seca (MS), em torno de 87%, ou de 2200 a 4400 kg MS/ha.
  • Energia bruta (EB), em torno de 3.863 kcal/kg.
  • Proteína bruta (PB), variando de 9 a 24%.
  • Extrato etéreo (EE), de aproximadamente 2%.
  • Fibra bruta (FB), de quase 10%.
  • Fibra em detergente neutro (FDN), de 40% a 58%.
  • Matéria mineral (MM), de aproximadamente 2%.
  • Cálcio (Ca), em torno de 0,10%
  • Fósforo total (P), em torno de 0,34%.

Apesar de excelentes teores de EB, MM e P, as informações nutricionais do trigo mourisco ainda são inferiores aos do farelo de trigo. Entretanto, exibem teores semelhantes de FB e Ca.

No inverno, a oferta de alimento para os animais é mais escassa, principalmente nas regiões mais frias do Brasil. Por isso, ensaios comparativos avaliaram a produção e qualidade da forragem de trigo mourisco cultivado no inverno.

Estes estudos permitiram a observação de que a partir dos 50 dias de crescimento, a forragem do trigo sarraceno foi maior do que a do milheto e da aveia. Sugerindo que o trigo mourisco é indicado para plantio no início da estação fria, para posterior alimentação de ruminantes neste período.

 

 

Ciclo do Trigo Mourisco

O ciclo total da planta é de aproximadamente 80 dias, podendo variar com a região, possibilitando a realização de até três safras por ano; apresenta rápido crescimento produzindo boa quantidade de massa verde 15 a 25 (t/ha) e seca 3 a 6 (t/ha).

 

Ciclo do Trigo Mourisco

 

A recomendação para a semeadura é que seja realizada longe do período de geadas, já que se trata de uma cultura suscetível.

Existem duas janelas de plantio do trigo mourisco:

  1. Na rotação de culturas com milho ou soja é indicada semeadura na primavera ou no fim do inverno, quando a temperatura do solo é mais elevada. Também pode ser introduzido antes do plantio da soja, sendo semeado no final de agosto ou início de setembro.
  2. Em rotação com soja ou milho hiperprecoces, colhidos em janeiro, fevereiro ou março, o trigo mourisco é semeado com o intuito de ser colhido antes das primeiras geadas do ano.

A população recomendada pode variar de 300 a 800 plantas por metro quadrado. Como o objetivo de plantio para supressão de plantas daninhas ou cobertura do solo, deve-se utilizar maiores populações, caso seja colheita de grãos, pode-se reduzir o número de plantas.

 

Checklist agrícola

 

Produção de trigo mourisco no Brasil

O trigo mourisco é utilizado como fonte de alimento há centenas de anos, entretanto, somente foi introduzido no Brasil início do século 20.

A sua introdução se deu através de imigrantes poloneses, russos e alemães, na região Sul. Atualmente, são bastante escassos os dados e informações a respeito da produção de trigo mourisco no Brasil, em função do seu cultivo para a produção de grãos, ainda ser pouco expressivo.

Além disso, estima-se que a produtividade brasileira não passe de uma tonelada por hectare, mesmo sabendo que a cultura tem potencial para alcançar, cerca de 3,6 toneladas por hectare.

A sua maior utilização se dá como planta de cobertura e adubo verde, em função do seu bom desenvolvimento em solos pobres. O trigo mourisco também se destaca no controle de plantas daninhas, tanto de espécies monocotiledôneas, quanto dicotiledôneas, decorrente da sua utilização como cultura de cobertura.

 

Cultura de Trigo Mourisco no Brasil

 

Agricultores do Centro-Oeste optam pela utilizaçãodo trigo mourisco na sucessão de culturas de grãos como soja, milho e sorgo.

Esta escolha ocorre devido a capacidade que esta planta tem para se desenvolver em regiões com baixa umidade, tornando-a ideal para a semeadura na safrinha e a rotação de culturas em áreas de cultivos extensivos.

Muitos agricultores mato-grossenses estão utilizando o trigo mourisco no mix (também conhecido como (coquetel) de plantas de cobertura. Sendo semeado inclusive em consórcio com a cultura do milho safrinha, às vezes consorciado também com crotalária e com o capim-braquiária.

Já os agricultores da região Sul, preferem utilizar o trigo mourisco após a colheita da cultura de verão, que geralmente é milho ou soja, por ser uma excelente opção para anteceder a implantação de culturas de inverno como trigo, cevada ou aveia.

 

Conclusão

Portanto, em consideração a todas essas características benéficas, com ciclo curto, alta produção de biomassa, bom desenvolvimento em solos pobres, auxílio no controle de plantas daninhas, rusticidade a pragas e doenças e alguns outros pontos positivos, essa cultura tem despertado o interesse por parte dos produtores.

Se torna uma excelente opção para a rotação de culturas, cobertura de solo ou para comercialização como semente, ração animal e na alimentação humana (produção de farinha sem glúten), além de trazer lucratividade ao produtor.

Se você gostou desse conteúdo e te ajudou e esclareceu suas dúvidas. Comente e compartilhe em suas redes sociais!

 

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

Michelly Moraes