(31) 9 8720 -3111 contato@agropos.com.br
Silvicultura

Fonte: AgroPós 2020

 

Em primeiro lugar a Silvicultura se ocupa das atividades ligadas ao cultivo das árvores, ela tem sido tradicionalmente aplicada como um dos mais importantes instrumentos para a obtenção de matéria-prima destinada ao atendimento de diversas demandas como produzir madeiras, que vão do pequeno agricultor à grande indústria de base florestal, estando relacionada à cultura madeireira, e tem se tornado também importante instrumento a contemplar as práticas de reflorestamento destinadas ao atendimento de diversas demandas ecológicas e ambientais.

A princípio, a silvicultura brasileira vem ao longo dos anos batendo sucessivos recordes de produção, favorecendo efetivamente a geração de produtos, tributos, empregos e renda, o que é extremamente importante para os mais diversos segmentos da sociedade, notadamente para a economia brasileira. Com tudo vale ressaltar que a silvicultura presa pela estabilidade do meio ambiente, onde esse tipo de ação tem como principal objetivo promover a manutenção dos biomas locais e assim ajudar a recuperar recursos naturais que se perderam devido a degradação do meio ambiente.

 

O QUE É SILVICULTURA?

 

Silvicultura é a ciência dedicada ao estudo dos métodos naturais e artificiais de regenerar e melhorar os povoamentos florestais com vistas a satisfazer as necessidades do mercado e, ao mesmo tempo, é aplicação desse estudo para a manutenção, o aproveitamento e o uso racional das florestas. Os principais tipos de silvicultura se dividem entre dois modelos: o clássico e o moderno.

Clássico: O método clássico leva em consideração a própria força produtiva das florestas naturais e o processo orgânico de regeneração em busca do equilíbrio do ecossistema.

Moderno: O estilo moderno é baseado na plantação das florestas, principalmente as do modelo silvicultura de eucalipto, e é provocado por ação do homem ou de forma orientada e artificial.

 

Silvicultura de precisão

 

Mas se você está em busca de um manejo mais especializado do solo, a silvicultura de precisão é destaque de investimento nesse cenário, proporcionando maior controle da produção, otimização de mão de obra e melhor aproveitamento de recursos.

A silvicultura de precisão é um modelo de cultivo florestal que se baseia na obtenção e análise de dados específicos de uma produção. Diferente do modelo tradicional de manejo florestal, neste tipo de técnica, a ideia é levar em consideração cada microambiente de uma área geográfica. Dessa forma, faz com que as intervenções preventivas ou corretivas sejam localizadas, aumentando o grau de eficiência e reduzindo gastos.

Portanto, a principal recomendação para adoção da silvicultura de precisão são para áreas nas quais exista grande variação dos fatores que interferem diretamente na produção no talhão florestal.

Primeiramente, identificada essas áreas, com ajuda da silvicultura de precisão, devem ser aplicados manejos diferenciados em termos de mudas, preparo do solo, controle adubação, , controle de plantas daninhas, pragas e doenças, em cada microambiente ao invés de um único manejo para toda a área.

Também auxilia na otimização e uso racional dos recursos disponíveis, auxilia no processo de gestão de pessoas e na maximização do potencial de cada clone, já que a seleção e implantação de melhores materiais genéticos é direcionada para cada ambiente específico. Mais do que isso, a adoção da silvicultura de precisão determina os melhores sítios e ambientes mais adequados para que a cultura expresse o máximo potencial do material genético, e seja mais rentável.

De uma forma geral, a silvicultura de precisão é uma ferramenta capaz de auxiliar na obtenção de melhores ganhos. Isso significa ter produção de madeira obtida por árvore maximizada já que permite que sejam feitas intervenções em todas as etapas do manejo. E exatamente onde é mais preciso.

 

Silvicultura Urbana

 

A silvicultura também pode ser explorada em ambientes urbanos a partir de espaços que possuam vegetação arbórea. Aqui, vale locais privados ou públicos que tenham a intenção do cultivo para fins ecológicos, econômicos ou sociais. Afinal, possuir mata verde perto da sua residência na cidade oferece maior bem-estar no dia a dia. Como formas de monitoramento estão recursos tecnológicos que levam em consideração o posicionamento geográfico.

A exploração florestal, reflorestamento e gestão econômica buscam uma combinação adequada entre a preservação ecológica e o aproveitamento da floresta com fins sociais. Sendo fundamental a preservação florestal para o aproveitamento industrial, porém não sendo o único fim dessa atividade.

 

QUAL PRINCIPAL OBJETIVO DA SILVICULTURA?

 

Antes de mais nada, o seu principal objetivo é cultivar povoamentos  de florestas através das necessidades do mercado e produzam riqueza, garantidas a continuidade e a boa qualidade da produção, de um ponto de vista mais geral, é a produção de madeira abundante e barata, de fácil aproveitamento, que deve ser assegurada no futuro. O campo de estudo da silvicultura é multidisciplinar e interessa a várias áreas científicas, como a botânica, a ecologia, a fitopatologia, a edafologia, a fitogeografia e a economia.

 

Pós-graduação em Silvicultura

 

Portanto, quais são os pontos que influenciam o sucesso de um projeto de silvicultura? O sucesso de um projeto de silvicultura depende do planejamento e implantação adequada nas várias fases do processo.

As fases podem ser compreendidas em

  • Estudo do clima
  • Determinação da espécie
  • Definição do material genético
  • Produção de mudas, preparo
  • Preparo do solo
  • Controle de formigas e outros invasores
  • Tratos culturais
  • Tratos silviculturas e colheita planejada.

Como a prática da silvicultura, consiste além da extração de madeira e outros produtos de interesse comercial, as técnicas próprias da silvicultura têm como função a preservação da floresta contra a erosão, a desertificação e a depauperação do solo, além de proteger a flora e a fauna de uma região.

 

SILVICULTURA NO BRASIL

 

O Brasil tem despontado como a maior potência mundial no fornecimento de produtos florestais madeireiros (PFM) e não-madeireiros (PFNM) e ainda referência como fornecedor de serviços ambientais, graças às funções ecossistêmicas de suas florestas.

Enquanto o país possuía mais de 500 milhões de hectares de floresta nativas e apenas 6 milhões de plantações, é possível afirmar que quase toda a riqueza socioeconômica do setor florestal brasileiro vem da silvicultura, ou seja, das plantações florestais. Em que pese o contexto histórico de meio século da Engenharia Florestal, o seu avanço tecnológico tem sido significativo.

Como diante das vantagens da silvicultura, há ainda muito espaço para o seu crescimento no Brasil, se for comparada à de países tradicionalmente florestais. O setor ainda tem muito a expandir em termos sociais, econômicos e ambientais. Dentre as atividades econômicas, a silvicultura é talvez a que apresente maior potencial de contribuição para a construção de uma Economia Verde, visto que é realizada dentro dos conceitos desta, e produz insumos às outras atividades alcançarem o caminho da sustentabilidade.

O Setor Florestal Brasileiro (SFB) é marcado por uma amplitude de indústrias e de produtos, sendo composto, basicamente, por três cadeias produtivas: da madeira industrial (celulose e papel e painéis de madeira reconstituída), do processamento mecânico da madeira (serrados e compensados) e da madeira para energia (lenha, cavaco e carvão vegetal).

 

utilização de madeira

Fonte: FBDS, 2019

 

A IMPORTÂNCIA DAS FLORESTAS NO MEIO AMBIENTE

 

O Brasil vivenciou, nas últimas décadas, uma transformação na produção madeireira. As grandes indústrias de papel, celulose; exemplo Suzano, móveis e siderurgia; exemplo  Gerdau e Duratex, dentre outras, têm utilizado técnicas de silvicultura para viabilizar a sua própria produção e contribuir com a preservação do meio ambiente.

 

Floresta plantada

 

Mas a silvicultura tem um indispensável papel no processo de reflorestamento, atuando contra a erosão, a desertificação e o enfraquecimento do solo. Tem como função cuidar da exploração e da manutenção racional das florestas, desde o pequeno agricultor às grandes indústrias madeireiras.

De acordo com o Sistema Nacional de Informações Florestais (SNIF) o Brasil detém hoje as melhores tecnologias na silvicultura do eucalipto, atingindo cerca de 60m³/ha de produtividade, em rotações de sete anos.

Dentre os benefícios da técnica, estão:

  • Diminuição da pressão sobre florestas nativas;
  • Reaproveitamento de terras degradadas pela agricultura;
  • Sequestro de carbono;
  • Proteção do solo e da água;
  • Ciclos de rotação mais curtos em relação aos países com clima temperado;
  • Maior homogeneidade dos produtos, facilitando a adequação de máquinas na indústria.

 

Metodologia Agropós

Além disso, a silvicultura atua no combate às pragas e no controle de incêndio para evitar a alteração do equilíbrio natural da floresta; fiscaliza a contaminação humana (uso de agrotóxicos); auxilia no corte adequado de árvores (frequência e intensidade) e na recuperação das florestas nativas, cujo objetivo é ampliar as possibilidades de manutenção dos biomas locais.

 

CONCLUSÃO

 

Portanto, silvicultura é a ciência que se dedica efetivamente ao estudo dos métodos naturais e artificiais de regenerar e melhorar os povoamentos florestais com vistas a satisfazer as necessidades do mercado e, ao mesmo tempo, aplica esse estudo para a manutenção, o aproveitamento e o uso racional das florestas. Portanto, pode-se entender por silvicultura, o ato de criar e desenvolver povoamentos florestais, satisfazendo as necessidades de mercado e se preocupando com o meio ambiente.

Michelly Moraes
ligamos para você AgroPós