fbpx
(31) 9 8720 -3111 [email protected]

A entressafra é o período que se estende da pós-colheita até o início do novo ciclo de plantio da lavoura.

Nesse período, alguns agricultores plantam culturas de ciclo curto, que apresentam potencial de desenvolvimento mesmo em condições climáticas não tão favoráveis.

Outros agricultores, deixam o solo em repouso para o próximo plantio. Mas afinal, o que fazer nas entressafras?

Vamos conferir agora as maneiras de se manejar esse período com sucesso.

Boa leitura!!

 

A importância da entressafra bem manejada

A entressafra, como o nome diz, é o período entre as safras de uma lavoura, que acontece entre a pós-colheita e o novo plantio.

Esse é um período sensível, onde o solo necessita de repouso para recuperar as forças e se preparar para a próxima plantação.

Mas, na maioria das vezes, o agricultor busca uma renda extra em épocas desfavoráveis à cultura principal. Isso se deve ao pensamento de que o solo sem atividade agrícola é tempo e dinheiro jogados fora.

Ao término de uma colheita da safra, o produtor deve sempre lembrar que a sustentabilidade da produção agrícola está intimamente ligada ao sistema como um todo.

Entressafras

Se não houver um cuidado especial, os custos de produção tendem a aumentar, dificultando o manejo da cultura e fazendo com que diminua a lucratividade final da lavoura.

Caso o solo seja deixado em pousio, as plantas daninhas irão depositar uma quantidade de sementes no solo, favorecendo a sua proliferação nesta etapa.

Fazendo com que haja maior dependência do uso de herbicidas, elevando o custo do controle, além de reduzir a produção da cultura de interesse.

Desse modo, a entressafra se mostra muito controversa, não existindo na verdade o certo ou errado.

Então, vamos descobrir juntos a seguir, as possibilidades do manejo nas entressafras.

 

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

 

Formas de manejar a entressafra

O manejo das entressafras, na verdade, consiste em um conjunto de práticas agronômicas visando à preparação do solo para a próxima safra, onde podemos destacar as seguintes práticas que comumente são utilizadas:

 

1. Manejo das sementes de plantas daninhas:

Esse manejo é justamente para evitar as condições favoráveis de germinação das plantas daninhas, uma vez que a isenção de competição com outra cultura e ausência de barreira física, faz com que as plantas daninhas desenvolvam livremente e de forma muito rápida.

 

2. Controle de plantas daninhas:

Caso não seja cultivado uma planta de cobertura, também é necessário alertar, que o manejo com herbicidas será necessário. A utilização do herbicida é facilitada quando se realiza o manejo da entressafra, já que, após o desenvolvimento da cobertura, o produtor poderá dessecar a área. Com o volume de palhada gerado, continuará o trabalho de preservação do solo, bem como realizar o plantio direto.

 

Manejo Integrado de Plantas Daninhas

 

3. Plantio de cobertura:

O produtor tem à sua disposição diferentes opções de culturas de cobertura. Entretanto, ele precisa levar em consideração algumas singularidades de cada espécie a ser cultivada. Outro ponto importante é que o plantio de cobertura ajuda a reter uma maior quantidade de água das chuvas e a manter a umidade do solo, além de protegê-lo das luzes diretas do sol. Isso é importante a médio e longo prazo, pois pode diminuir o estresse hídrico na safra seguinte em caso de estiagens e seca.

 

4. Plantio de culturas de inverno:

Se o produtor julgar não necessário o pousio do solo, ele pode investir em cultivo de milho ou algodão safrinha, por exemplo. Dessa forma, ele garantirá uma renda nesse intervalo e a possibilidade de expandir a sua produção.

 

Entressafra do milho

Foto: CleversonBeje/FAEP

 

Mas o que torna a entressafra um período ainda mais complexo, são as diferentes características de produção de cada cultura.

Um exemplo, é o plantio da cana-de-açúcar. Com ela é um pouco diferente, pois há a colheita mas não há a sua retirada por completa do campo.

Vamos ver esse caso em separado para contextualizar e melhorar compreender como funciona a entressafra em realidades distintas.

 

Solos no Brasil

 

Conheça o período de entressafra da cana-de-açúcar

O Brasil é o maior produtor de etanol de cana-de-açúcar do mundo.

Quanto a safra, já sabemos que se dá no mês de maio a novembro, mas como proceder nas entressafras da cana-de-açúcar?

A cana-de-açúcar (Saccharum officinarum) é uma cultura semi-perene. Por isso, não há a sua retirada por completo da área de plantio, já que há a prevalência da soca em campo.

Em março de 2020, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) divulgou que o Brasil apresentava um crescimento de 3,6% em relação à safra anterior.

Dessa forma, para alavancar os números da sua produção, é essencial que o produtor tenha em mãos conhecimento para traçar a melhor rota e elevar sua produção com um menor custo.

O período de entressafra da cana-de-açúcar é momento de colocar a casa em ordem, realizar a manutenção da usina, fazer reparos necessários e planejar a próxima safra.

É momento também de realizar os tratos culturais necessários, para assim garantir sucesso na produção de cana-de-açúcar na próxima safra.

Para que ela não sofra em seu estágio inicial por competição de nutrientes e água, é de suma importância o controle de plantas daninhas e a prevenção de pragas e doenças.

A cana-de-açúcar é seriamente afetada nas fases iniciais de crescimento pelas plantas daninhas, que também utilizam os recursos disponíveis de forma eficiente, sendo que, muitas delas também apresentam fisiologia C4.

Assim sendo, capinas com o uso de cultivadores ou capina química através do uso de herbicidas se faz necessário.

 

Entressafra da cana-de-açúcar

 

Atenção no período das entressafras!

Vimos neste post que, quando terminada a colheita, as preocupações com a propriedade não param.

Mesmo após o fim da safra de verão, o cuidado com a pós-colheita é tão importante quanto as outras etapas de cultivo, sendo este um período de muito trabalho e muitas ações voltadas ao próximo plantio.

Para evitar prejuízos e uma safra de lucratividade, deve-se planejar bem as próximas atividades, as divisões de tarefa e o remanejamento do pessoal.

A dica final é: o cuidado nas atividades da lavoura deve ser mantida em qualquer período de produção!

 

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

Juliana Medina