(31) 9 8720 -3111 contato@agropos.com.br

 

Calagem do solo

 

O que é calagem do solo? Você já parou pra pensar que esse é um procedimento bastante comum, mas nem todos sabem por que é necessário, quais são os benefícios da calagem e quanto essa técnica é necessária para a lavoura?

Neste artigo, vamos abordar os principais pontos de uma calagem eficiente e que traga os resultados esperados para seu cultivo de interesse.

Te convido a explorar mais a fundo esse tema agora comigo, vamos lá?

 

O QUE É CALAGEM DO SOLO?

 

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que a verificação não só nutricional é fundamental no preparo do solo para o plantio, bem como também é de suma importância a análise do pH do solo.

Em solos com pH ácidos, como é caso de boa parte dos solos brasileiros, pode ocorrer a indisponibilidade de nutrientes para a cultura, causando retardo no seu desenvolvimento e até queda na produção.

Uma vez que, os nutrientes precisam de determinadas condições físico-químicas do solo para ficarem disponíveis para as plantas. Por isso uma das mais importantes condições do solo é a sua acidez.

Quanto maior for a acidez, menor é o valor do pH, enquanto o valor neutro do pH é igual a 7. Por outro lado, valores de pH acima de 7 referem-se à alcalinidade do solo.

Por tanto, a maioria das culturas se desenvolvem melhor na faixa de pH situada entre 5,5 e 6,5 (solos levemente ácidos).

Um exemplo disso é o plantio da cana-de-açúcar, que para seu cultivo o pH ideal fica em torno de 6,5.

Nesse sentido, para que o solo fique nessa faixa de pH, muitas das vezes se faz necessária a correção do solo.

Essa correção é chamada de calagem, que é realizada com a aplicação de calcário no solo.

Uma vez que, a aplicação de calcário no terreno é capaz de reagir com o solo e diminuir sua acidez e deixa-lo em condições mais adequadas para realização do plantio.

 

QUAL A IMPORTÂNCIA DE SE FAZER A CALAGEM

 

Além de corrigir o pH, diminuindo a acidez do solo, a calagem fornece cálcio e magnésio para as plantas, aumenta a CTC (Capacidade de troca catiônica) e melhora o aproveitamento de nutrientes pelas plantas.

 

plantio de cana

 

Contudo, a calagem vai muito mais além que a correção da acidez do solo.

A calagem se faz necessária também por outros motivos, abaixo vou citar quais são as vantagens de se fazer a calagem do solo antes do plantio:

  • Aumento da disponibilidade de cálcio e magnésio, elementos que são fundamentais para o crescimento das raízes, com isso incrementando a absorção da água e dos nutrientes presentes no solo.
  • Redução dos efeitos tóxicos do manganês e do alumínio, que afetam negativamente o enraizamento das plantas.
  • Melhoria nas características físicas do solo, a calagem auxilia na diminuição da compactação do solo.
  • Por fim, a calagem colabora com condições favoráveis para manutenção e proliferação da microbiota benéfica do solo, assim também, como condições para a matéria orgânica.

 

COMO FAZER UMA CALAGEM NO SOLO

 

Para a realização da calagem, procedimento esse estratégico para o plantio e que deve ser realizado com muita cautela, apenas quando realmente for necessário.

Nesse sentido, algumas etapas anteriores devem ser executadas até a aplicação efetiva do produto no solo.

Assim como, o primeiro passo é o planejamento, pois a calagem é um procedimento que deve ser realizado cerca de 3 meses antes do plantio. Vejamos quais são etapas são essas:

 

Amostragem do solo

A coleta de amostras para análise de solo deve ser representativa de toda a área.

Para isso, dentro de cada gleba deve-se realizar a extração de amostras simples, através de um caminhamento em zig-zag.

As amostras simples devem ter o mesmo volume de solo e coletadas na mesma profundidade, posteriormente homogeneizadas para a formação de uma amostra composta.

Abaixo, demonstração de separação de glebas e caminhamento em zigue-zague para coleta das amostras simples.

 

Amostragem do solo

Fonte:  Agropós

 

Encaminhamento para o laboratório

Após a homogeneização e formação das amostras compostas, essas devem ser embaladas com sacos plásticos para evitar contaminação e identificadas corretamente.

A identificação das amostras devem conter o seguintes dados: data, local de coleta e responsável e encaminhada para o laboratório de confiança.

 

Definição da dose de calcário

Logo depois, com o resultado da análise em mãos é possível definir o tipo de calcário que será utilizado, se será com mais ou com menos magnésio.

A dose que será empregada deverá ser calculada em função da cultura que será implantada.

Uma das formas de se classificar o calcário é pelo seu poder relativo de neutralização total (PRNT).

Dessa forma, quanto maior for o valor do PRNT, menor deve ser a quantidade necessária de calcário a ser aplicada.

Assim, em geral os valores são distribuídos conforme os dados a seguir em função do tipo de calcário e seu PRNT. Os tipos são:

  • A: PRNT de 45% a 60%
  • B: PRNT de 60,1% a 75%
  • C: PRNT de 75,1% a 90%
  • D: PRNT acima de 90%

 

DEFINIÇÃO DO TIPO DE CALCÁRIO PARA SUA CALAGEM

 

A classificação do calcário se dá pela sua composição química, principalmente pelos teores de óxido de cálcio (CaO) e óxido de magnésio (MgO). Com base nos teores desses compostos químicos, o calcário pode ser:

  • Calcítico:mais cálcio (acima de 40%) e menos magnésio (até 5%);
  • Magnesiano:cálcio entre 30% e 40% e magnésio entre 5% e 12%;
  • Dolomítico: cálcio entre 25% e 30% e magnésio acima de 12%.

E ainda pode ser utilizado o Calcário filler, calcário que apresenta granulometria fina, indicado para o plantio direto.

 

Pós-graduação em Solos e Nutrição de Plantas

 

Cal virgem agrícola

É obtido pela calcinação ou queima completa do calcário, esse processo é realizado de maneira industrial.

É composto por óxido de cálcio (CaO) e o óxido de magnésio (MgO).

Sua apresentação é na forma de pó fino e sua absorção é instantânea, gerando calor e devido esse fator ele deve ser adicionado ao solo com antecedência, para evitar o risco de “queima” das sementes e plântulas.

 

Cal hidratada agrícola ou cal extinta

É obtido pela hidratação da cal virgem, com sua constituição o hidróxido de cálcio Ca(OH)2 e o hidróxido de magnésio Mg(OH)2 e também se apresenta na forma de pó fino e sua absorção também é instantânea.

 

Calcário calcinado

É obtido através da calcinação parcial do calcário, com sua constituição o CaCO3 e MgCO3 não decompostos do calcário, CaO e MgO e também Ca(OH)2 e Mg(OH)2 resultantes da hidratação dos óxidos pela umidade do ar.

Assim como, o calcário calcinado, apresenta características medianas à cal virgem ao calcário.

Sua apresentação é em forma de pó fino. Sua ação neutralizante é devida à base forte OH e a base fraca CO3-2.

 

Escória básica de siderurgia

É um subproduto da indústria do ferro e do aço, com sua constituição o silicato de cálcio e o silicato de magnésio.

 

Carbonato de cálcio

Produto obtido pela moagem de margas, que são depósitos terrestres de carbonato de cálcio.

Do mesmo modo, pode ser obtido através da moagem de corais e sambaquis, que são depósitos marinhos de carbonato de cálcio, também denominados de calcários marinhos.

Sua ação neutralizante é semelhante à do carbonato de cálcio dos calcários.

 

software agrícola

 

Aquisição do produto

Por fim, depois de definido o tipo de calcário que será utilizado, pesquise com os fornecedores qual é a melhor opção.

Leve em consideração a localização da sua propriedade, o custo do transporte do calcário pode ser significativo, como também de todo equipamento e mão de obra.

É importante colocar todo custo do processo na ponta do lápis, pois cada gasto a mais é lucro a menos da sua lavoura.

Contudo, agora que você já conhece as opções de calcário para fazer a calagem da sua lavoura e o que você deve considerar ao adquiri-lo, vamos conhecer como é sua aplicação.

 

COMO REALIZAR A CALAGEM?

 

A princípio, a calagem deve ser realizada 3 meses antes do plantio da lavoura.

O calcário deve incorporado uniformemente ao solo, até a profundidade de 20 cm, pode ser distribuído manualmente (a lanço), ou com aração e gradagem (plantio convencional).

 

calagem a lanço e calagem a gradagem

 

 A calagem superficial normalmente não tem efeito rápido na redução da acidez do subsolo, por isso, a importância do planejamento da calagem antecipadamente.

Nesse sentido, se torna fundamental esse planejamento, pois a acidez nas camadas mais profundas do solo, pode inibir o desenvolvimento das raízes, devido aos níveis tóxicos de Al ou mesmo por deficiência de Ca.

Dessa forma, agora que sabemos quais são as possibilidades de calcário utilizar e como aplicar, vamos ver como é feito o cálculo da calagem?

 

pós-graduação em solos e nutrição de plantas

 

RECOMENDAÇÃO DA CALAGEM

 

É importante salientar que o cálculo da calagem deve levar em conta os diferentes métodos aplicados para diversas regiões do país, bem como, estar com o resultado da análise de solo em mãos.

Há várias formas de realizar o cálculo de calagem. Aqui, vou apresentar os dois mais utilizados.

 

Neutralização de alumínio

Esse é um método mais indicado para solos com baixa CTC (Capacidade de troca catiônica).

NC  = Y [Al3+ – (mt – t/100)] + [X – (Ca2+ + Mg2+)] Sendo que:
NC = Necessidade de calcário, em t/ha
Y= Valor tabelado em função do poder tampão do solo:
Arenoso: Y = 0 a 1
Médio: Y = 1 a 2
Argiloso: Y = 2 a 3
Muito argiloso: Y = 3 a 4

mt= Saturação por Al3+ (100 x Al / SB + Al)
t= CTC efetiva (SB + Al)
X= Teor mínimo de Ca + Mg: tabelado, sendo que para forrageiras tropicais é de 1 a 2.
Ca2+ + Mg2+= teores trocáveis de Ca e Mg, em cmolc/dm3

 

Saturação por bases

NC = [CTC x (V2 – V1) x (100/PRNT)] / 100

Sendo que:

NC = Necessidade de calcário, em t/ha
CTC = CTC pH7 (capacidade de troca de cátions) em cmolc/dm3
V2 = Porcentagem de saturação por bases desejada
V1 = Porcentagem de saturação por bases atual do solo (encontrada na análise do solo)

PRNT = Poder Relativo de Neutralização Total (encontrado na embalagem do calcário)

 

guia do aluno de pós-graduação

 

SISTEMA CONVENCIONAL X SISTEMA DE PLANTIO DIRETO

 

A calagem pode ser adotada tanto no plantio convencional, quanto no plantio direto, para ambos os tipos de cultivo é necessário seguir todas as recomendações citadas anteriormente.

Logo, no plantio convencional a aplicação do calcário é agregado ao solo, em seguida de operações de aração e gradagem.

Dessa forma, o calcário é incorporado mais uniformemente ao solo, conseguindo atingir até suas camadas mais profundas.

Por outro lado, no sistema plantio direto, a correção da acidez é feita por meio da aplicação de calcário na superfície do solo, sem que haja a incorporação.

Para isso, recomenda-se a utilização de um calcário mais fino, facilitando a sua reação com o solo, portanto, maior efeito da calagem. Nesse caso o mais utilizado é o Calcário filler, por apresentar granulometria mais fina.

A calagem também atua ao longo dos anos no plantio direto, amenizando os efeitos nocivos da acidez em camadas mais profundas do solo, por isso, deve se ter o cuidado de não repetir a operação em espaço de tempo curto.

 

aplicação de calcário

 

MAS COMO A CALAGEM AGE NO SOLO?

 

Vejamos de acordo com esquema abaixo, segundo a Fundação MT, como a calagem age no solo.

 

reações da calagem

Fonte: Fundação MT

 

CONCLUSÃO

 

Enfim, a calagem para seu maior aproveitamento ela deve ser bem planejada e sistematicamente seguida passo a passo.

Nesse artigo foi apresentada a importância de se fazer a calagem do solo e de como esse processo pode influenciar positivamente na sua lavoura.

Portanto, para a realização da calagem, procedimento esse estratégico para o plantio, deve ser realizado com muita cautela, apenas quando realmente for necessário, por isso a importância da amostragem e análise de solo para resultados conclusivos.

Espero com esse artigo possa ter te ajudado na hora da tomada de decisão e que assim conquiste ótimos resultados de produtividade na sua lavoura.

Escrito por Juliana Martins Medina.

Juliana Medina
ligamos para você AgroPós