(31) 9 8720 -3111 [email protected]

A colheita possibilita coletar produtos no final de um ciclo produtivo para inúmeras finalidades de uso. Com a possibilidade de ser realizada em diversos espaços onde o plantio é feito, a colheita encerra as atividades de produção de um ciclo dentro de um sistema de agrícola. Dito isso, preparamos um artigo onde iramos abordas tudo que você sobre esse tema.

Acompanhe!

 

COLHEITA

 

A hora da colheita requer muita atenção e cuidado do produtor rural. Para garantir bons resultados, o agricultor precisa estar atento para reduzir as perdas e assim evitar grandes prejuízos.

Diversos fatores podem impactar e contribuir com as perdas: condições climáticas, falhas em equipamentos, presença de pragas agrícolas, entre outros.

Para ajudar nesse processo de identificação e redução dos casos, é possível adotar medidas e estratégias. Além de conhecermos os diferentes tipos de colheita para a cultura adequada.

 

Pós-Graduação em Gestão e Economia do Agronegócio

 

Mas afinal, o que é colheita?

Basicamente, a colheita nada mais é do que um método de coleta dos produtos que foram cultivados pelos agricultores, ou seja, a coleta do seu plantio.

Normalmente, a colheita costuma ser realizada com o auxílio de máquinas, como mencionamos, para otimizar o tempo.

Mas a colheita em si é um método milenar e que foi sendo aperfeiçoada ao longo dos anos, a fim de contribuir com os agricultores.

Portanto, ainda é comum encontrar quem ainda realize essa técnica de forma manual, embora não seja recorrente.

 

Por que conhecer os tipos de colheita?

Para alguns produtos agrícolas, como café ou algodão, o método de colheita pode afetar a qualidade final do produto. Assim, para o produtor, é importante conhecer as diferenças entre cada tipo de colheita e escolher o que mais se adequa à sua produção.

 

Colheita- Trigo

 

Em alguns casos, a colheita é a fase mais crítica de todo o processo produtivo na lavoura. Sendo assim, falhas ocorridas nessa hora podem representar prejuízos significativos para o produtor.

É importante destacar que cada cultura possui maior ou menor suscetibilidade na hora da colheita. De maneira geral, no entanto, serão mostrados os principais tipos de colheita para as diversas culturas, sem muitas especificidades.

Tipos de colheita

As culturas agrícolas, de uma forma generalizada, podem adotar três possíveis tipos de colheita que serão abordados a seguir. Acompanhe.

 

Colheita manual

De forma geral, a colheita é um processo agrícola de pequeno porte, que agrega maior qualidade os produtos plantados. É um princípio depende dos sentidos humanos como o tato e a visão.

E é necessário uma espécie de instinto para perceber o momento ideal para realizar a colheita dos frutos ali cultivados.

A vantagem deste método é que os seus executores estão completamente imersos no processo. Por isso, o conhecimento adquirido em relação ao cultivo da plantação acaba se tornando ainda maior e único.

 

Colheita Manual- Batata

 

Embora possa ser feito por completo de maneira manual, a colheita exige o uso de alguns materiais auxiliares, como enxadas, cestas de palha para armazenar os produtos e facas para o corte de raízes superficiais.

Este tipo de colheita é geralmente de subsistência, ou seja, para consumo próprio. Portanto, o cuidado com os alimentos é feito individualmente. Isso possibilita observar imperfeições com maior facilidade, impedindo ingestão de frutos de má qualidade. Uma das maiores desvantagens é a quantidade de tempo gasto neste processo.

 

Checklist agrícola

 

Colheita semimecanizada

A colheita é considerada semimecanizada quando mescla operações manuais com mecânicas. É o caso, por exemplo, da derriça do café fazendo uso de um derriçador: o estendimento da lona sob o cafeeiro é manual e a derriça se faz com o equipamento mecanizado, embora de operação manual.

 

Colheita Semi mecanizada- Café

(Fonte: Café Point, 2016)

 

Na cultura do feijão, o arranquio e o ajuntamento são realizados de forma manual, sendo seguidos pela trilha, realizada mecanicamente. A máquina empregada para esse fim é a trilhadora estacionária ou batedora de grãos.

No caso da colheita do arroz, a ceifa (corte) e o recolhimento das plantas é realizado manualmente. A trilha, como no caso do feijão, é feita utilizando-se uma trilhadora estacionária.

 

Colheita mecanizada

O processo de colheita mecanizada é utilizado por agricultores de médio a grande porte, e faz o uso de maquinário específico. O investimento em máquinas como trator, com vibrações das barras ferro ao passar pelo campo do plantio, auxilia na rápida coleta.

A vantagem do uso do trator é a tecnologia que suas barras de ferro vibratórias oferecem. Isso possibilita, por exemplo, que sejam colhidos apenas os frutos maduros, mas não os verdes. Entre as desvantagens deste processo está o fato de ser um investimento muito caro.

 

Colheita Mecanizada- Soja

 

Ele também exige um cuidado maior na hora da colheita para que não haja danificação dos alimentos. Um dos maiores exemplos de colheita mecanizada pode ser visto na colheita do café, soja, algodão. Entre outras culturas devido ao grande campo utilizado para o cultivo.

 

Alguns cuidados essenciais na colheita

Nem sempre é possível garantir 100% da colheita o tempo todo. Mas, para evitar prejuízos, o produtor rural deve planejar com precisão o cultivo, analisar o solo, otimizar recursos, além de contar com uma boa proteção financeira para casos emergenciais. Veja as nossas dicas e aplique na sua fazenda.

 

Solos no Brasil

 

Avaliação do solo

Analisar o solo é um passo muito importante para garantir uma boa colheita. É importante ter o conhecimento sobre a sua composição, para assim identificar os minerais e nutrientes presentes na terra.

Com esses dados em mãos, você pode relacionar com as necessidades nutritivas daquilo que deseja cultivar naquele espaço. Dessa forma é possível garantir o manejo mais adequado.

 

Atenção às condições climáticas

O clima pode impactar diretamente na sua colheita. Se você quer garantir a rentabilidade e a produtividade da sua atividade agrícola, você precisa levar em consideração as condições climáticas da sua região.

Cada planta tem as suas particularidades e necessita cuidados distintos. É preciso reconhecer as necessidades daquilo que quer cultivar e observar se há chances de realizar o plantio. Identifique o material que melhor se adequa ao seu ambiente, analisando a temperatura e umidade do local.

 

Controle das pragas agrícolas

Outro fator que compromete a colheita é a presença das pragas agrícolas. Por isso é necessário saber identificar as pragas e doenças que podem ocorrer no seu plantio.

Para ter uma boa produção agrícola, você precisa se atentar ao manejo para controlá-las. Uma boa estratégia é realizar o monitoramento constante da cultura para evitar surpresas com o surgimento da praga.

 

Tecnologia a seu favor

O campo está ficando cada vez mais tecnológico e o produtor rural deve usar isso a seu favor. Invista em recursos e inovações que possam te auxiliar a reduzir as perdas da sua lavoura.

No mercado há diferentes ferramentas disponíveis que ajudam no gerenciamento, monitoramento e otimização dos recursos. Dessa forma é possível obter uma colheita cada vez mais precisa e eficiente.

 

Seguro Rural

Por mais cuidados que o produtor rural tenha com a sua lavoura, há imprevistos que podem comprometer todo o trabalho do período. Alagamentos, incêndios, ventos fortes são um dos exemplos que podem causar muitos prejuízos ao agricultor.

Ter um seguro rural pode fazer toda a diferença para o seu negócio. Afinal, você terá acesso aos recursos necessários para dar continuidade a sua atividade agrícola.

 

Conclusão

Para garantir uma boa colheita, não basta que o agricultor esteja atento apenas às condições climáticas, aos preços dos grãos, entre outros detalhes.

É preciso estar preparado, também, para continuar investindo. Com isso é essencial que o produtor tome alguns cuidados. Se você gostou desse conteúdo e te ajudou e esclareceu suas dúvidas. Comente e compartilhe em suas redes sociais!

 

Pós-Graduação em Gestão e Economia do Agronegócio

Michelly Moraes