(31) 9 8720 -3111 [email protected]

As folhas são extremamente importantes para a manutenção da atividade fisiológica da planta e consequentemente para o rendimento das culturas.  Com isso preparamos esse artigo para falar um pouco sobre a cor da folha do milho, sendo elas amarelas ou roxas. Quer saber mais sobre?

Venha Comigo!

 

FOLHA DE MILHO

 

O milho é uma das plantas cultivadas de maior interesse, quanto à sua origem, estrutura e variação. Somente é conhecido em cultivo e, na sua forma atual, não apresenta indicativos de que poderia subsistir sem os cuidados do home.

A cultura do milho encontra-se amplamente disseminada no Brasil. Isto se deve tanto à sua multiplicidade de usos na propriedade rural quanto à tradição de cultivo desse cereal pelos agricultores brasileiros.

Neste artigo vamos abordar um pouco sobre a cor da folha do milho o que significa cada uma delas e o que o produtor pode fazer.

 

 

Importância do Milho

O milho tem enorme importância para o Brasil já que é a segunda maior cultura na produção agrícola, e o grão ainda, coloca o país no segundo lugar no pódio da exportação global.

A característica mais importante do grão é a versatilidade, pois sua utilização vai desde a alimentação animal até a produção de etanol.

O milho é a segunda maior cultura na produção agrícola no Brasil, o grão é superado apenas pela soja que lidera a produção no país. O Brasil é o segundo maior exportador mundial de milho, seguindo de perto o líder, Estados Unidos.

 

Cultura de milho

(Fonte: Canal Rural, 2019)

 

O produto brasileiro é reconhecido pela qualidade e por conseguir suprir vários países no período de entressafra norte-americano, alguns países que importam os maiores volumes de milho do Brasil são Vietnã, Coreia do Sul, Japão, Taiwan, Irá, Egito e Malásia.

 

Como se desenvolve uma planta de milho?

O ciclo da cultura de milho é compreendido em cinco diferentes etapas de desenvolvimento. São elas:

 

Desenvolvimento do Milho

 

1º Fase- Germinação e emergência

Esse período é compreendido da semeadura até o aparecimento da plântula de milho e é muito variável principalmente em função da temperatura e nível de umidade do solo, podendo durar de cinco até 15 dias.

Nesta etapa os maiores problemas surgem quando a competição ocorre na linha de plantio, principalmente, quando se tratam de plantas daninhas de folha estreita.

 

2º Fase-  Crescimento vegetativo

Esse período é compreendido desde a emissão da segunda folha definitiva (considera-se folha definitiva, aquelas folhas totalmente emergidas do cartucho, em que é possível observar a olho nú a linha de união entre a lâmina e a bainha da folha) até o início do florescimento de milho.

É durante essa etapa que são determinados importantes componentes do rendimento de grãos. Entre seis e nove folhas define-se o número de fileiras de grãos por espiga de milho e entre 12 a 15 folhas o número de grãos por fileira.

É por esse motivo que na prática e nos estudos de predição, esse período é considerado o mais importante em termos de competição, controle e reflexos no rendimento de grãos final da lavoura.

 

3º Fase- Florescimento

 É o período compreendido entre polinização e início da frutificação de milho, que normalmente tem sua duração estabelecida entre quatro e oito dias.

Frutificação: É a etapa compreendida entre fecundação até enchimento de grãos de milho. Essa etapa é conhecida pelos técnicos e agricultores pela fase de enchimento de grãos. A duração dessa etapa, dependendo da cultivar e das condições ambientais, pode variar de 40 a 60 dias.

 

 4º Fase- Maturação

É o período compreendido entre o fim da frutificação e a maturação fisiológica ou aparecimento da camada preta na base do grão de milho (que fica em contato com o sabugo).

 

Fase de Maturação do Milho

 

Em algumas áreas em que o controle de plantas daninhas foi realizado de maneira inadequada ou em áreas de elevada infestação, devido ao baixo sombreamento da cultura nessa etapa, e consequente elevada taxa de luminosidade, pode ser induzida a emergência de plantas daninhas com elevada agressividade.

A exemplo das gramíneas, que pode comprometer o rendimento de grãos final, devido a perdas e/ou, normalmente em maior grau, devido à redução da qualidade do produto final, em função das dificuldades durante a colheita.

 

Folhas Amarelas ou Roxas: Quais as causas?

Os nutrientes são elementos importantes no desenvolvimento das plantas para que elas possam completar o ciclo saudáveis e vigorosas.

Quando disponíveis em quantidades suficientes para suprir as necessidades das plantas, elas se desenvolvem normalmente e com alta produtividade.

 

Deficiência na Folha de Milho

(Fonte: Biomatrix, 2021)

A seguir serão descritos os nutrientes considerados de maior importância para a cultura do milho, e citadas algumas situações de deficiências que podem ocorrer no campo.

 

Nitrogênio

Está associado ao crescimento vegetativo das plantas, participa da fotossíntese, aumenta a porcentagem total de proteínas, a porcentagem de óleo e também o peso da espiga.

Amarelecimento das folhas de milho mais velhas em forma de ‘V’ deitado, morte prematura e espigas pequenas.

 

Fósforo

Deficiência de fósforo ocasiona uma cor verde escura nas folhas mais velhas, seguindo-se de tons roxos nas pontas e nas margens. O colmo também pode ficar roxo.

Nestes casos, a necrose só ocorre em situações muito graves de deficiência. Mas é importante estar sempre atento, já que isso ocasiona um retardo do crescimento geral e um desenvolvimento precário da raiz.

 

 

Potássio

É responsável pelo uso eficiente da água, aumenta a resistência da planta ao acamamento e a tolerância a pragas e doenças.

Parece com uma queimadura, secamento ou bronzeamento da ponta e margens das folhas inferiores, manchas marrons no interior do colmo e espigas com extremidades sem grãos.

Cobre

Folha de milho amarela logo que começa a se desenrolar, principalmente as folhas mais novas. Depois, as pontas geralmente se encurvam e apresentam necrose.

As margens são necrosadas e os colmos se dobram com facilidade. Um outro sintoma muito comum da deficiência de cobre na cultura do milho são as espigas vazias.

 

Zinco

Participa no crescimento das plantas, é ativador de inúmeras enzimas e participa na formação dos grãos.  Crescimento reduzido da planta, encurtamento dos internódios e folhas com coloração esbranquiçada próximas à região do “cartucho”.

 

Checklist agrícola

 

Molibdênio

Você já deve saber que o molibdênio é o nutriente responsável pelo processamento do nitrogênio nas plantas, certo? Então, lembre-se de que os sintomas dessas deficiências também podem ser parecidos.

No caso do molibdênio, as plantas menores apresentam uma cor verde-pálida, que pode se desenvolver até um amarelamento mais forte. Essa coloração começa nas bordas e vai até as nervuras principais.

 

Enxofre

Os sintomas da deficiência do enxofre na cultura do milho são bem parecidos com os de nitrogênio. Mas os casos de enxofre são bem mais raros.

Amarelecimento geral do tecido e nervuras da folha de milho e um gradiente roxo que se inicia no meio do timbo e se desenvolve para a região da bainha são característicos dessa deficiência. É importante lembrar que para cada 10 partes de nitrogênio, o milho necessita de uma parte de enxofre.

 

Cálcio

É essencial para o crescimento e aprofundamento das raízes, vital para a germinação do grão de pólen e faz parte da parede celular dos tecidos vegetais.

Redução do crescimento radicular, clorose nas folhas novas, morte das extremidades das raízes e problemas na fecundação.

 

Magnésio

 É essencial para a fotossíntese; é componente da clorofila, pigmento verde, participante ativo do processo fotossintético e auxilia a absorção de fósforo.

Crescimento reduzido da planta, listas esbranquiçadas paralelas às nervuras das folhas inferiores e redução da taxa fotossintética.

 

Conclusão

As lavouras de milho no Brasil vêm crescendo em área e produtividade. Isso fez com que o país ganhasse ainda mais espaço entre as nações que mais exportam o grão e registrasse um crescimento na participação em exportações mundiais de mais de 300% em dez anos.

O cenário é ainda de valorização da cotação do cereal no Brasil, que conta com uma demanda forte do mercado interno e externo. Com isso é de extrema importância conhecer a fisiologia do milho e as causas que levam as deficiências das folhas.

Gostou de saber mais sobre o assunto?  Deixe seu comentário e acompanhe nosso blog e fique por dentro dos próximos artigo.

 

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

Michelly Moraes