fbpx
(31) 9 8720 -3111 [email protected]

O enxofre para as plantas é um macronutriente essencial para elas completarem seu ciclo de vida e também tem relação direta com os aspectos produtivos de diversas culturas em quantidade e qualidade.

 

Enxofre para plantas

(Fonte: KenResearch, 2019).

 

A importância do enxofre para as plantas

O enxofre (S) é um dos elementos químicos mais abundantes na natureza, classificado como não metal. Na temperatura ambiente é sólido e de cor amarela.

Ele é essencial para a produção de ácido sulfúrico, aplicado em diversos setores da indústria. É muito usado na produção de fertilizantes utilizados para fazer adubos formulados NPK.

Esse nutriente é classificado como um macronutriente para as plantas e, além de ser necessário para que as mesmas completem seu ciclo de vida, é necessário em abundância.

Em algumas culturas, a exigência de enxofre pode ser maior que o fósforo (P), como é o caso do rabanete, cebola, pimenta, algodão, feijão, soja entre outras.

 

Enxofre para plantas

 

O enxofre também está associado a características relacionas a qualidade dos alimentos como o odor e o sabor.

Está presente em compostos voláteis que contribuem para o odor característico culturas, como o alho, cebola, mostarda, abacaxi entre outras.

Para saber mais como o enxofre atua no metabolismo das plantas, como identificar a deficiência de enxofre e as possíveis fontes desse nutriente para as plantas, confira esse texto na íntegra.

 

Função e deficiência do enxofre em plantas

O enxofre é fundamental para as plantas, pois é um nutriente que desempenha papel estrutural em diversas moléculas importantes do metabolismo.

A exemplo de moléculas do grupo dos aminoácidos como a metionina, cisteína e cistina, as quais são necessárias para a formação de proteínas.

Além disso, desempenham um papel estrutural em moléculas como os lipídios, polissacarídeos, flavonoides, alcaloides entre outros.

E também sendo os flavonoides e os alcaloides representantes de moléculas ligadas ao metabolismo secundário das plantas.

Os metabolitos secundários das plantas vão desempenhar funções diversas desde a pigmentação, odor até mesmo de defesa ao ataque de pragas e doenças.

 

Enxofre para plantas

 

Mais um ponto que demostra a importância de ser ter plantas bem nutridas para evitar ou combater a ocorrência de pragas e doenças.

Além de seu caráter estrutural o enxofre pode desempenhar papel de coenzima e assim atuando na regulação da atividade de enzimas.

Os sintomas da deficiência de enxofre se assemelham aos da deficiência de nitrogênio. Devido à clorose generalizada que pode ocorrer em casos mais graves de falta de enxofre.

A diferença está nas folhas em que ocorrem inicialmente os sintomas de deficiência. No caso do enxofre, será nas folhas mais novas devido a sua pouca mobilidade na planta.

 

 

Comparação de plantas de tomate com (esquerda) e sem sintomas (direita) de deficiência de enxofre (Fonte: Promix, 2021).

 

Tal clorose pode ser acompanhada de tons roxeados avermelhados dependendo da planta, assim como folhas de tamanho reduzido com o enrolamento das margens.

Como reflexo da falta de enxofre podemos ter o encurtamento de internódios, a redução do florescimento e menor nodulação em leguminosas.

 

Interações enxofre solo-planta

A forma mais comum de ocorrência de enxofre no solo são sulfatos (oxidada) além de ser também a forma mais absorvida pelas plantas, principalmente por fluxo de massa.

Porém, o sulfato, devido a sua carga negativa, vai se manter na solução do solo podendo assim ser facilmente lixiviado.

Solos formados a partir de rochas ígneas, podem variar a forma de ocorrência do enxofre em função do meio estar oxidante ou redutor.

Em um meio oxidante temos a formação de minerais como gipsita, anidrita, epsonita e merabilita. Esses são compostos por moléculas de sulfato associadas ao cálcio (Ca), magnésio (Mg) ou sódio (Na).

Da mesma forma que o teor de enxofre no solo vai apresentar relação direta com os níveis de matéria orgânica: pode representar de 60 a 90% do enxofre total.

O enxofre proveniente da matéria orgânica pode sofrer o processo de mineralização até a forma de sulfato. Assim como pode ser imobilizado semelhante ao nitrato devido à dição de matérias com relação C:S alta.

Esse processo de oxidação do enxofre no solo também pode ocorrer através da ação enzimas presente em microrganismos como o Thiobacillus thiooxidans.

O enxofre no solo pode interagir outros nutrientes como cloro (Cl) e selênio (Se) apresentando uma relação inversamente proporcional.

Por fim, ele também pode ser aplicado via foliar nas formas de sulfato e enxofre elementar com uma absorção de 50% do enxofre por volta de 5 a 10 dias dependendo da cultura.

 

Manejo Integrado de Plantas Daninhas

 

Manejo de adubação do enxofre em plantas

Agora que já discutimos um pouco sobre a importância do enxofre, como diagnosticar sua deficiência e suas relações com o solo e com as plantas, podemos falar sobre como realizar seu manejo de adubação.

Logo, vamos entender quais as fontes possíveis de enxofre podem ser utilizadas ou até mesmo aproveitas já dentro de outros manejos necessários para a sua área de cultivo.

A exemplo disso temos o gesso agrícola, o qual pode ser uma fonte interessante de enxofre para as plantas, apresentando um teor médio de 15 a 18% de enxofre.

Além de fornecer enxofre as plantas, o gesso, também atua diminuição da saturação de alumínio em profundidade.

Aos que desejam saber mais sobre o processo de gessagem, recomendo esse outro texto no blog da Agropós: Gessagem Agrícola: Saiba os Benefícios e como Realizar seu Cálculo!

Além do gesso e da matéria orgânica, podemos citar como fontes de enxofre o sulfato de amônio, superfosfato simples, sulfato de potássio e combinações com fertilizantes nitrogenados.

 

Tabela de diferentes fontes de fertilizantes contendo enxofre (Fonte: Stipp e Casarin, 2010).

 

E o que mais?

Essas mesmas fontes apresentadas na tabela anterior podem ser utilizadas para se fazer as tão conhecidas formulações de NPK.

Assim, dependendo das fontes utilizadas para se obter um fertilizante formulado pode haver ou não certa quantidade de enxofre.

Também saber que na maioria das vezes a aplicação de fertilizantes contendo enxofre implica na acidificação do solo é muito importante para se fazer um bom manejo de adubação.

Algo que pode ser feito de maneira intencional no controle da doença sarna da babata, uma vez que seu agente causal desenvolve semal sob condições de pH mais ácidos.

Assim, para a construção de um bom plano manejo de adubação de enxofre, não deixe de consultar um engenheiro agrônomo.

Esse profissional também pode te ajudar a sanar dúvidas como: qual fonte enxofre usar? Como diluir o enxofre para plantas? Ou quando deve ser aplicado o enxofre nas plantas?

 

Conclusão

Espero que após a leitura desse artigo você tenha aprendido um pouco mais sobre a importância de se aplicar o enxofre nas plantas. Além de ter relembrado como esse nutriente interage no solo e com as plantas.

Aos que desejam saber mais sobre outro macronutriente importante para as plantas, recomendo esse outro texto: Fósforo para plantas: Conheça a dinâmica desse macronutriente!

E se quiser ler mais artigos como esse e de outros assuntos de seu interesse continue navegando no blog da Agropós.

Por fim, não se esqueça também de acompanhar as novidades através do perfil da Agropós do Instagram e outras redes sociais.

 

Enxofre para plantas

João Verzutti