fbpx
(31) 9 8720 -3111 [email protected]

Para que sua plantação de feijão tenha um bom desenvolvimento até o final de seu ciclo existem alguns detalhes que merecem sua atenção.

 

Plantação de Feijão

(Fonte: Toronto star, 2019)

 

Ter uma plantação de feijão bem conduzida do começo ao fim é certamente o caminho para se ter ótimos rendimentos de produtividade assim como diminuir os problemas no campo.

Já que o feijão é uma cultura de importância indiscutível na dieta do brasileiro, assim como de outros povos da América e Ásia.

Para garantir que produtores e consumidores saiam satisfeitos com a qualidade do produto final existe uma série de pontos importantes a serem decididos no momento da implantação do feijão.

Assim, nesse artigo vamos discutir um pouco sobre cada um desses aspecto que vão influenciar toda a plantação de feijão.

 

Pós-graduacao Solos e Nutrição de Plantas.

 

Escolha da cultivar para o plantio de feijão

O feijão apresentar grande variabilidade de tipos, tamanho e padrões de cores. Assim, sua demanda acaba sendo variável conforme os costumes locais de cada região.

Sendo assim a escolha do tipo de feijão a ser plantado deve ser levado em conta a preferência local da região pois assim já cria uma garantia de mercado consumidor com o bônus de menor frete.

Além desse aspecto deve se escolher bem o material de feijão a ser plantado considerando os fatores de caráter mais técnicos como:

  • Exigências edafoclimáticas;
  • Tipo de habito de crescimento;
  • Produtividade;
  • Resistencia a pragas e doenças;

 

Cultura do Feijão: importância, tipos, fenologia e seus principais manejos.

 

Condições climáticas e épocas de semeadura.

Uma característica que faz o feijão um ótimo alimento, no âmbito da segurança alimentar, é o fato dele poder ser cultivado durante o ano todo em diferentes regiões.

Sendo o feijoeiro uma planta que não sofre influência da variação do fotoperíodo como é o caso da soja por exemplo.

Assim é comum plantar feijão em três épocas.

 

Épocas de plantio

  • O Feijão das águas, 1ª safra ou cultivo de primavera, iniciado em agosto e setembro;
  • O Feijão da seca, 2ª safra ou cultivo de verão, iniciado entre janeiro e fevereiro;
  • E o Feijão de inverno, 3ª safra ou cultivo de outono-inverno realizado entre abril e junho

E como você já deve imaginar cada época de plantio escolhida vai apresentar condições e desafios climáticos diferentes da semeadura a colheita desse feijão.

Mas nesse momento vamos comentar alguns pontos relacionados com as condições edafoclimática do momento da implantação do feijão.

O primeiro ponto para se atentar nesse momento é a umidade do solo pois é ela que vai facilitar ou complicar as operações mecanizadas seja ela de plantio ou de colheita.

Além do que solo de textura mais argilosa são pouco recomentados para plantio de feijão, pois esse tipo de solo acaba por diminuir a qualidade das vagens que estão mais próximas ou em contato com o solo.

 

Condições climáticas e épocas de semeadura do feijão.

 

Das três épocas de cultivo do feijão citada, a 3ª safra é a que se tem menos problemas com a humidade do solo por justamente cair em épocas menos chuvosa.

O outro fator importante é a temperatura do solo no momento da semeadura. Sendo a faixa entre 20°C a 30°C adequada para seu desenvolvimento.

Contudo, a temperatura de 25°C é ideal para o desenvolvimento uniforme da plantação de feijão. Uma vez que temperaturas abaixo de 18°C acarretam na diminuição da germinação e emergência do feijão.

E a situação contraria de altas temperaturas, de 30°C a 35°C, acabam por reduzir a velocidade da germinação e também a formação dos nódulos na raiz, os quais são relacionados a fixação biológica de nitrogênio.

 

Inoculação e o tratamento de sementes para a plantação de feijão

A prática de inoculação com microrganismo benéficos, muito comum em leguminosas, ao formar nódulos em suas raízes junto a bactérias.

Essas bactérias pertencentes ao gênero Rhizobium quando associadas a planta de feijão resultam no processo conhecido como a fixação biológica de nitrogênio.

Isso como você pode imaginar aumenta o rendimento produtivo do feijão e reduz os gastos com fertilizantes nitrogenados.

Sendo esse manejo recomendado principalmente em áreas que ainda não houve cultivo de feijão. Fazendo se necessário a inoculação da bactéria junto a semente.

Mas muito cuidado ao trabalhar o inoculante junto ao tratamento de sementes com fungicidas ou inseticidas.

Para evitar problemas é necessário verificar a compatibilidade entres os produtos assim como realizar a inoculação depois do tratamento químico da semente.

Sendo o tratamento químico recomendado quando a área apresentar histórico com doenças como antracnose (Colletotrichum lindemuthianum), tombamento (Rhizoctonia solani), mofo-branco (Sclerotinia sclerotiorum) entre outras.

No caso de pragas tem se comumente formigas (Atta spp.), broca-do-colo (Elasmopalpus lignosellus), lagarta-rosca (Agrotis ipsilon), vaquinha (Diabrotica speciosa) entre outras.

 

Fungos causadores de doenças em plantas.

 

Formação da plantação de feijão

Outro aspecto crucial em uma plantação de feijão é a decisão do espaçamento, seja o de entrelinhas ou de linha, para a melhor formação de estande na área.

Além do aproveitamento espacial, tais decisões, podem influenciar diretamente a formação ou não de microclimas que contribuem para a incidência de doenças.

Assim como, dependendo do tipo de hábito de crescimento do feijão, vai haver reflexos nos componentes de produtividade como o número de vagens e o número de grãos por planta.

Comumente são utilizados espaçamento entrelinha de 0,4 a 0,5 metros e na linha uma densidade de 12 a 15 sementes por metro, dependendo é claro do vigor e taxa de germinação da semente.

 

Formação da plantação de feijão

 

Dessa forma obtendo uma população que vai variar entre 200 e 300 mil plantas por hectare. Mas que devido a capacidade de compensação do feijão ambas as populações podem mantar rendimentos próximos.

Uma vez que populações maiores tem uma produção por planta se reduzida, ao passo que populações menores tendem a apresentam uma produção por planta maior.

Para que todo esse processo ocorra da melhor forma é necessário que haja cuidados com o preparo do solo.

Sendo assim, vamos falar um pouco sobre alguns desses cuidados na próxima sessão.

 

Preparo do solo para o plantio de feijão.

O preparo de solo consiste na adequação de condições favoráveis para se ter uma operação de semeadura eficiente assim como o bom desenvolvimento radicular do feijão.

Basicamente existe três tipos de sistemas de preparo de solo utilizado em uma plantação de feijão, sendo eles: o convencional, mínimo e o sistema de plantio direto.

O sistema convencional ocorre por meio do revolvimento das camadas superficiais com o objetivo de reduzir a compactação, incorporar corretivos e fertilizantes, aumentar os espaços porosos.

Nesse sistema é realizado operações de aração e gradagem, onde a primeira operação vai cortar o solo e a gradagem posterior vai reduzir o tamanho dos torrões e nivelar área.

Já no cultivo mínimo é um sistema em que as operações de revolvimento são reduzidas em relação ao convencional.

Nele ocorre a substituição dos discos por implementos hastes. Dessa maneira, não há inversão de camadas do solo deixando o solo menos desagregado.

E por fim no sistema de plantio direto não se tem a movimentação do solo, exceto quando se faz o sulco de semeadura.

Por esse motivo esse sistema tido como conservacionista e por visar também a manutenção da cobertura vegetal.

Estando essa cobertura vegetal no solo haverá redução na perda de água por evaporação e na perda de nutrientes causas por erosão e lixiviação.

 

Conclusão

Espero que com a leitura desse artigo você tenha revisado os aspectos cruciais para realizar um bom planejamento para ter uma ótima plantação de feijão.

Assim como espero que tenha notado como todos esses fatores estão intimamente relacionados entre si e também com todos outros manejos futuros em uma lavoura de feijão.

 

Pós-graduação em Solos e Nutrição de Plantas

João Verzutti