fbpx
(31) 9 8720 -3111 [email protected]

O laboratório de solo é de grande importância na agricultura, sendo o recurso mais importante e confiável para o conhecimento do estado nutricional e o grau de fertilidade em que se encontra determinada área.

No laboratório é que são feitas as análises do solo, uma vez, que esse é o meio utilizado para avaliar essas características com maior exatidão.

Quer saber mais? Então, venha comigo!

laboratório de solo

O que é o solo?

O termo “solo” refere-se ao material exterior e solto da superfície da terra, uma camada distintamente diferente da rocha matriz.

Assim, o solo pode ser conceituado de diversas maneiras.

Para a agricultura, o solo é a região que suporta a vida das plantas e da qual elas obtêm seu suporte mecânico e muitos de seus nutrientes.

Quimicamente, o solo contém uma grande variedade de substâncias orgânicas as quais não são encontradas nas camadas inferiores.

Para o microbiologista, o solo é um ambiente considerado único por vários motivos:

  1. Contém um vasto número de bactérias, actinomicetos, fungos, algas e protozoários;
  2. É um dos mais dinâmicos sítios de interações biológicas na natureza;
  3. É a região em que ocorre muitas das reações bioquímicas devido à decomposição da matéria orgânica, intemperismo das rochas e com a nutrição das culturas agronômicas.

 

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

 

Descrição geral do solo

O solo é composto de cinco componentes maiores: matéria mineral, água, ar, matéria orgânica e organismos vivos.

A quantidade desses constituintes não é a mesma em todos os solos, pode variar com a localidade.

Em uma mesma localidade, a quantidade de matéria mineral e orgânica é relativamente fixa, mas a proporção de água e ar é variável.

Água e ar, juntos, representam aproximadamente a metade do volume do solo.

O volume assim ocupado representa o espaço poroso do solo.

A fração mineral, contribuindo, em geral, com pouco menos de 50% do volume, origina-se da desintegração e decomposição da rocha matriz.

Matéria orgânica usualmente contribui com 3 a 6% do total.

Nutrição Mineral de Plantas: Macronutrientes.

A porção viva do solo, incluindo vários pequenos animais e microorganismos, constituem com menos de 1% do volume total, mas sendo essencial para a produção das culturas e para a fertilidade do solo.

A porção inorgânica do solo tem influência sobre os microorganismos devido à disponibilidade de nutrientes, aeração e retenção de água.

Na fração mineral se acham partículas de variadas medidas, as quais são reunidas de acordo com os seus tamanhos, em agrupamentos denominados frações do solo.

As partículas individuais diferem entre si não só por suas dimensões, mas também pela superfície exposta por unidade de massa que é muito maior nas argilas.

Por toda essa complexidade, que se faz de suma importância a realização da análise de solo em laboratórios de solos especializados.

Dessa forma, o agricultor terá em mãos resultados que o dará maior precisão e segurança na tomada de decisão.

Como fazer a análise de solo?

A calagem e adubação, procedimentos esses estratégicos para o plantio, deve ser realizados com muita cautela, apenas quando realmente for necessário.

Nesse sentido, algumas etapas anteriores devem ser executadas até a aplicação efetiva que qualquer produto no solo.

Vejamos quais etapas são essas:

Solos no brasil

Amostragem do solo:

A coleta de amostras para análise de solo deve ser representativa de toda a área.

Para isso, dentro de cada gleba deve-se realizar a extração de amostras simples, através de um caminhamento em zig-zag.

As amostras simples devem ter o mesmo volume de solo e coletadas na mesma profundidade, posteriormente homogeneizadas para a formação de uma amostra composta.

 

fertilidade de plantas     

Encaminhamento para o laboratório de solo:

Após a homogeneização e formação das amostras compostas, essas devem ser embaladas com sacos plásticos para evitar contaminação e identificadas corretamente.

A identificação das amostras devem conter os seguintes dados: data, local de coleta e responsável e encaminhada para o laboratório de solo de confiança.

Quais análises são feitas em um laboratório de solo?

laboratório de solo é destinado prioritariamente para dar suporte às pesquisas nas áreas de ciência do solo.

São elas: a fertilização do solo, poluição do solo, manejo e conservação de solos e água, além de contribuir nas áreas de gestão ambiental, manejo florestal, entre outras.

Os valores dessas análises variam de região e claro da complexidade de cada análise requerida pelo agricultor ou responsável técnico pela amostragem do solo.

Abaixo vamos destacar as principais análises feitas em um laboratório de solos:

  • Química do solo: é o tipo de verificação que é feita quando é necessário que sejam avaliados todos os macronutrientes e os micronutrientes do solo. Ou seja, o dimensionamento é em cima de todo nutriente que a planta necessita em abundância (macronutrientes) e também os que são necessários em doses menores (micronutrientes).
  • Física do solo: outro tipo de verificação é a análise física, em que você tem entendimento sobre qual a porcentagem de argila, silte e areia de cada parte da área analisada.
  • Matéria orgânica: é feita essa análise para avaliar os compostos de origem vegetal, animal e microbiana. Ela influencia nas propriedades químicas e principalmente, físicas nos solos. 
  • Microbiológica: essa análise é feita a partir dos organismos que vivem nesse ambiente.

Seu foco principal é na atividade metabólica e o papel da microbiota no fluxo de energia e na ciclagem de nutrientes associados à produtividade primária.

Além disso, essa análise preocupa-se também com os impactos ambientais, tanto positivos quanto negativos, dos organismos do solo e dos processos que mediam.

     

laboratório de solo

 

Como interpretar uma análise de solo

Após feita a realização da análise no laboratório de solo, cabe ao profissional capacitado interpretá-la para tomar decisões assertivas a respeito da adubação e calagem do solo.

Os principais pontos analisados são: tamanho de partículas (argila, silte e areia), saturação por alumínio (m%), saturação por bases (V%), CTC ou T, acidez do solo (pH), teores nutricionais (matéria orgânica, cálcio, magnésio, potássio, fósforo e alumínio), relação Cálcio/Magnésio.

Cada região tem suas publicações específicas para a metodologia e interpretação das análises de solo.

Por isso, a importância de um profissional técnico da área que tenha conhecimento prévio para uma interpretação correta dos resultados e possa fazer a correção, se necessário.

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

Juliana Medina