(31) 9 8720 -3111 [email protected]

Cultivo do cafeeiro tem sido caracterizado pela contínua busca do aumento da produtividade. Portanto, exige-se que se procure manter as plantas o mais bem nutridas possível. Com isso, preparamos este artigo para explicar tudo sobre como adubar café.

Vamos lá!

 

Como adubar café

 

O mercado cafeeiro vem crescendo cada vez mais ao longo dos últimos anos. Algumas pessoas passaram a investir na produção e dúvidas surgiram como por exemplo na adubação.

adubação adequada deve considerar a necessidade da lavoura, conforme suas características vegetativas e produtivas, a disponibilidade de nutrientes do solo e seu equilíbrio.

O grande segredo para fazer com que a qualidade do seu café melhore com adubações é fazer com que os macro e micronutrientes estejam sempre balanceados e em sintonia, pois são eles que vão fazer com que os açúcares e carboidratos cheguem até o grão do café.

Pensando em nossos leitores com interesse no assunto, preparamos este artigo falando tudo sobre esse assunto, confira abaixo.

 

 

Importância da Adubação no Café

A nutrição do solo é um parâmetro essencial para um eficiente sistema de produção de café, pois as lavouras atuais, em sua maioria, encontram-se implantadas em solos naturalmente pobres.

Para aumentar a produtividade do cafezal e qualidade do grão, um dos principais fatores é o manejo adequado da adubação no café.

 

(Fonte: CaféPoint)

 

Tal prática se resume a satisfazer as necessidades nutricionais da planta, de modo que possa atender as exigências nutricionais em todos os estádios de desenvolvimento da planta por meio de técnicas que proporcionem maior otimização no uso da água, dos adubos, da mão de obra e de outros insumos.

A nutrição adequada das plantas de café pode influenciar indiretamente a qualidade final dos grãos de café como, por exemplo:

  • Teores adequados de nutrientes, especialmente de potássio, resultam na maior concentração de açúcares nos grãos de café;
  • O maior enfolhamento proporcionado pelo equilíbrio nutricional, aumenta o período de maturação e a porcentagem de frutos cereja.

 

 

Estratégia de Baixo custo na adubação

Em condições de preços baixos do café, é necessário a racionalização do uso dos adubos, visto que o manejo é significativo sobre o custo de produção, pois representa cerca de 20% das despesas anuais com custeio da lavoura.

Para reduzir os custos da adubação é preciso adotar as estratégias corretas, como, análise do solo, histórico da área, da cultura, etc.

Também a combinação com outras formas de adubação, orgânica e mineral e pela maior eficiência de aproveitamento, adensamento, manejo de plantas, parcelamentos e localização.

 

Estratégia de Baixo custo na adubação

(Fonte: Café Vô Luiz)

 

A adubação do cafeeiro deve ser planejada de acordo com as análises do solo, dos tecidos foliares e as quantidades variam em função da produção, idade da planta e do tipo de adubo usado, das perdas de nutrientes que venham a ocorrer, entre outros aspectos.

O modo de usar os adubos no cafezal é influenciado pelo tipo da lavoura, a declividade do terreno, o tipo de solo e o tipo do adubo. Além do sistema de manejo adotado, se cultivo de sequeiro ou irrigado.

 

Nutrientes Essenciais

 Conheça os nutrientes essenciais e para que serve:

  • Nitrogênio(N): é essencial para a formação das proteínas, substâncias que fazem parte dos tecidos vegetais.
  • Fósforo(P): dá força e rigidez aos caules dos cereais; facilita a floração; aumenta a frutificação; apressa a maturação; intensifica a resistência das plantas.
  • Potássio(K): ajuda na elaboração os açúcares e o amido, deve ser fornecido em uma relação adequada com o nitrogênio para garantir um perfeito equilíbrio entre crescimento, produção e qualidade.
  • Cálcio(Ca): em baixas concentrações, estimula a absorção de outros íons.
  • Magnésio(Mg): entra na composição da clorofila, da protoclorofila, da pectina e fitina.
  • Enxofre(S): apresenta-se associado ao nitrogênio na composição das proteínas.
  • Boro(B): importante na germinação do grão de pólen, na formação das flores, frutos e raízes,
  • Cobre(Cu): é essencial para as plantas, em processos de oxidação e redução.
  • Ferro(Fe): é essencial para a formação da clorofila (embora não faça parte dela), para absorção de nitrogênio e processos enzimáticos.
  • Manganês(Mn): assim como o ferro, também é necessário para a formação da clorofila, para a redução de nitratos e para a respiração.
  • Molibdênio(Mo): participa da bioquímica da absorção e do transporte e fixação de nitrogênio.
  • Zinco(Zn): atua no crescimento das plantas pela sua participação na formação do ácido indolacético (AIA).

 

Época de Adubação no cafeeiro

No período conhecido com período das águas que vai de setembro a março, é época de realizar as correções e adubações de solo e folha no cafeeiro

Recomenda-se fazer a 1ª adubação 20-30 dias após a florada principal, o que, normalmente, é no mês de novembro. Depois mais 2 parcelas, em final de dezembro e meados de fevereiro.

 

Época de Adubar Café

 

Além da época correta, deve-se prestar atenção na fonte dos nutrientes, na dose e modo de adubação, considerando os resultados de análises, que mostram a disponibilidade no solo, a umidade presente na hora de adubar e a necessidade de cada lavoura.

Adubação de formação: Aquela realizada após o plantio, ou seja, leva em consideração a fertilização procedida na cova de plantio. É considerada como adubação de formação, aquela procedida a partir do próximo período chuvoso após o plantio.

Adubação de produção: é a fase em que o cafeeiro demanda as maiores quantidades de nutrientes, especialmente devido à produção de frutos.

 

Checklist agrícola

 

Aplicação de Adubo no cafeeiro

A melhor maneira é aplicar o adubo junto à linha de cafeeiros e, se possível, debaixo da saia das plantas, de forma bem esparramada e atingindo os dois lados da linha. Em áreas mais planas, o adubo deve chegar, dos 2 lados da linha de cafeeiros.

 

Adubação Foliar

(Fonte: Revista Campo e Negocio, 2020)

 

Os nutrientes são absorvidos pelas raízes do cafeeiro de 3 modos:

 

Fluxo de massa

Ocorre quando água absorvida pelas plantas flui ao longo de um gradiente de potencial hídrico, arrastando consigo os nutrientes dissolvidos na solução do solo para próximo da superfície radicular onde ficam disponíveis para a absorção.

 

Difusão

Ocorre quando o restabelecimento de um determinado íon pelo solo é menor que a quantidade absorvida pelas raízes ocorre uma redução na sua concentração nas proximidades da superfície radicular estabelecendo-se um gradiente de concentração ao longo do qual o íon se move.

 

Interceptação

Ocorre quando as raízes, ao crescerem explorando o solo em todas as direções, entram em contato direto com os nutrientes a serem absorvido. Em todos os modos, a proximidade dos nutrientes do sistema radicular favorece a sua absorção.

Existe, ainda, especialmente para o nitrogênio, o fenômeno conhecido por absorção radial, ou seja, as raízes que se encontram de um lado da planta absorvem e carreiam apenas o nutriente para aquele lado da planta.

 

Método de Aplicação

A adubação no café pode ser feita no solo ou por via foliar. Conheça os métodos de aplicação e os fertilizantes disponíveis no mercado, que irão fornecer os nutrientes às plantas de café:

  • Adubação do solo manual: Consiste na aplicação dos fertilizantes de forma manual. Os equipamentos utilizados nesse processo são: sacola plástica, pá e recipiente dosador;
  • Adubação do solo mecanizada: Consiste na aplicação mecanizada dos fertilizantes. Os equipamentos utilizados nesse processo são: adubadora, esparramadeira e carreta;
  • Adubação foliar manual: Consiste na aplicação dos fertilizantes via foliar de forma manual. Os equipamentos utilizados nesse processo são: pulverizador costal pressurizado ou pulverizador costal à bateria;
  • Adubação foliar semimecanizada: Consiste na aplicação dos fertilizantes via foliar de forma semimecanizada. O equipamento utilizado nesse processo é o pulverizador costal motorizado;
  • Foliar mecanizada: Consiste na aplicação dos fertilizantes via foliar de forma mecanizada. Os equipamentos utilizados nesse processo são: pulverizador de 400 litros ou pulverizador de 2000 litros ou canhão atomizador de 400 litros.

 

Conclusão

Na hora de fazer a adubação do café surgem várias dúvidas. Ainda existe muita desinformação e picaretagem por aí, o que muitas vezes leva o produtor ao erro na adubação. E isso pode significar prejuízos tanto na produção como no bolso.

Como pudemos acompanhar no post, a adubação para café deve ser feita de acordo com parâmetros da planta e do solo.

A exigência nutricional do cafeeiro deve ser suprida na quantidade e na época certas para termos maior eficiência de uso dos adubos e melhor produção.

Se você gostou desse conteúdo e te ajudou e esclareceu suas dúvidas. Comente e compartilhe em suas redes sociais!

 

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

Michelly Moraes