(31) 9 8720 -3111 [email protected]

Quando o local destinado ao depósito de grãos não está protegido de forma adequada, pragas de grãos podem aparecer e resultar em danos financeiros em função do comprometimento dos alimentos. Com isso listamos as principais pragas de grãos armazenados e como realizar o controle. Quer saber mais sobre o assunto?

Venha comigo!

 

pragas de grãos armazenados

 

A armazenagem de grãos é sinônimo de preservação dos investimentos feitos durante toda uma safra. Além disso, alguns produtores optam por guardar parte da produção para comercializá-la futuramente aguardando um preço melhor, ou ainda facilitar a colheita, de modo que não precise esperar a comercialização para continuar a operação.

No entanto, as pragas vem sendo um grande problema neste armazenamento. Com isso é de extrema importância realizar a identificação destas pragas e realizar um controle eficiente.

Abaixo vamos abordar tudo que precisa saber sobre esse assunto. Onde irá ajudar o agricultor a realizar os procedimentos adequados.

 

 

O que é armazenagem de grãos e qual é a sua importância?

A armazenagem de grãos é o processo de guardar os grãos produzidos com o intuito de preservar suas qualidades físicas e químicas desde a colheita até o abastecimento.

Em síntese, esse processo envolve uma sequência de operações como limpeza, secagem, tratamento fitossanitário, transporte, classificação, entre outros.

 

pragas de grãos armazenados

(Fonte: Rijeza Metalúrgica, 2021)

 

Sendo assim, a armazenagem é um dos meios mais eficazes de obter um produto fora de sua sazonalidade.

No entanto, isso só é possível com uso de boas práticas de armazenamento, que garantem a conservação da qualidade física e fisiológica dos grãos.

 

Quais são os benefícios da armazenagem de grãos?

  • Diminui as perdas quantitativas e qualitativas que ocorrem no campo pelo atraso na colheita ou devido o armazenamento em locais inapropriados;
  • Reduz o gasto com transporte, que tem seu preço máximo no “pico de safra”, pois evita a espera dos caminhões nas filas das unidades coletoras ou intermediárias;
  • Contribui para o aumento do rendimento na colheita, por conta da eliminação das impurezas e do excesso de água;
  • Garante a qualidade do produto, evitando o processamento inadequado devido ao grande volume a ser processado no período da safra;
  • Ajuda na obtenção de financiamento por meio das linhas de crédito específicas para a pré-comercialização;
  • Disponibiliza a utilização do produto no momento mais oportuno;
  • Aumenta o poder de barganha dos produtores, já que permite a escolha da época de comercialização.

 

Checklist agrícola

 

Onde é feita a armazenagem de grãos?

O mercado disponibiliza diferentes tipos de armazenagem de grãos, como:

  • Os Silos metálicos
  • Silo de espera
  • Silo de concreto
  • O Silo secador
  • Silo armazenador
  • Silo de expedição
  • Os Silos bag
  • Silos-bolsa
  • Armazém graneleiro

Para cada tipo de estrutura, o produtor deve avaliar o custo-benefício, o tempo que pretende deixar sua produção armazenada, o volume e os riscos que corre ao deixar seu produto guardado naquele determinado modelo de armazenagem.

O mercado disponibiliza diferentes tipos e opções de sítios para armazenamento dos grãos, como silos metálicos, silo de concreto, armazém graneleiro ou estruturas temporárias conhecidas como silos bag, ou silos-bolsa.

 

Quanto a classificação das pragas

As pragas são classificadas conforme seu hábito alimentar:

Pragas primárias: atacam os grãos sadios

Pragas primárias internas: perfuram e penetram nos grãos para seu desenvolvimento. Exemplo: besouros (R. dominica, S. oryzae e S. zeamais). Estes citados, são os principais insetos que ocorrem durante o armazenamento.

Pragas primárias externas: destroem a casca dos grãos e consomem o seu conteúdo. A diferença é que não vivem em seu interior, apenas se alimentam. Exemplo: traças (P. interpunctella);

 

Pragas secundárias

Não conseguem atacar os grãos inteiros, pois precisam que estejam danificados os quebradiços para se alimentarem.

Causam grandes prejuízos. Sua presença indica que já foram atacados por pragas primárias. Exemplo: besouros (C. ferrugineus, O. surinamensis e T. castaneum) (Lorini, 2015).

O que essas pragas provocam?

  • Redução do peso do produto;
  • Diminuição do valor nutritivo;
  • Depreciação da qualidade e da estrutura dos grãos/sementes;
  • Potencial de reduzir vigor e germinação;
  • Valor comercial comprometido.

 

As pragas de grãos mais frequentes

Dentre as principais espécies de pragas de grãos armazenados, pode-se salientar algumas mais frequentes, veja abaixo:

 

Besouro de cereais e farinhas (Rhyzopertha dominica)

Bastante comum em grãos armazenados de milho, essa praga ainda pode ocorrer em arroz, centeio, cevada, sorgo e trigo. O bichinho cabeçudo, de corpo cilíndrico e coloração escura, deposita ovos em meio aos grãos.

 

pragas de grãos armazenados

(Fonte: O impacta, 2022)

 

Tanto o inseto adulto quanto a larva podem causar danos. O estrago é tão intenso que o produto fica imprestável para a comercialização e o consumo.

 

Traça dos cereais (Sitotroga cereallela)

Essa espécie afeta apenas a superfície da massa de grãos, sendo incapaz de penetrar nas camadas mais profundas.

O seu dano está vinculado com as larvas que penetram no interior dos grãos, onde se alimentam e completam a fase larval, prejudicando o peso e a qualidade dos mesmos.

 

pragas de grãos armazenados

(Fonte: Bequisa, 2022)

 

Afeta as culturas do arroz, aveia, cevada, centeio, milho e trigo. Além disso, as traças apresentam a peculiaridade de atacar a farinha produzida a partir dos grãos, causando deterioração no produto pronto para consumo.

 

Traça indiana da farinha (Plodia interpunctella)

Esse exemplar atinge culturas de fumo, soja, trigo, feijão, milho e arroz. O modo de ataque se assemelha ao das outras traças.

Cabe destacar que essa espécie apresenta um potencial destrutivo importante nas sacarias e, em menor escala, nos grãos armazenados a granel.

 

pragas de grãos armazenados

(Fonte: Bequisa, 2022)

 

O maior prejuízo é a redução de peso da mercadoria, o que interfere na quantidade a ser comercializada posteriormente.

Além disso, o produto danificado fica vulnerável a pragas secundárias, que encontram caminho aberto para se alimentar.

 

Gorgulho (Sitophilus oryzae)

Mais uma das pragas de grãos armazenados de arroz, cevada, milho e trigo. Vive na massa estocada, às vezes em conjunto com outras espécies, e pode ameaçar um volume significativo da produção.

 

pragas de grãos armazenados

 

Como consequência da infestação, nota-se redução do peso e da qualidade do insumo. O grande problema é que gorgulhos e carunchos são mais resistentes que as traças, podendo chegar a regiões profundas do silo.

Para piorar, ocasionalmente carregam fungos e outros parasitas que alteram as propriedades da mercadoria.

 

Fungos causadores de doenças em plantas.

 

5 Dicas de como realizar o controle de pragas de grãos armazenados:

 

1ª Dica – Análise do local

Todo o ambiente é analisado pela equipe da empresa de controle de pragas e vetores para entendimento dos processos, desde a entrada do produto até a saída do mesmo, além do período de armazenamento.

Essa análise tem o objetivo de antever pontos de falha que as pragas podem acessar e também se abrigar.

 

2ª Dica – Aplicação de inseticidas

Após a higienização e secagem, os grãos devem ter tratamento preventivo com produtos de origem química ou biológica. Essa prevenção garante a eliminação da praga durante o período de armazenamento.

 

3ª Dica – Limpeza e higienização

Essa fase é importante para eliminar os focos de infestação e preparar o terreno para o armazenamento correto dos grãos.

 

4ª Dica – Realização do expurgo

O expurgo é uma forma de eliminar as pragas através da utilização de gás. Essa técnica é também chamada de fumigação.

O local deve ser perfeitamente vedado e o serviço é feito respeitando das normas de segurança dos produtos em uso.

 

5ª Dica – Medidas educativas

Por fim, devem ser propagadas medidas para a mudança de comportamento das unidades armazenadoras e de seus profissionais, para realizarem os procedimentos corretos desde o recebimento até a saída dos grãos.

 

Conclusão

A armazenagem de grãos é o método mais eficaz de se obter um produto fora de sua sazonalidade, logo, as boas práticas de armazenamento são essenciais para manter sua qualidade e quantidade, pois nada adianta ter todo um controle rigoroso no campo para evitar as perdas.

E esse controle não ter seguimento no armazenamento, aos cuidados que devem estar presentes em todas as sequências de operações das etapas do beneficiamento dos grãos, tais como pré- limpeza, limpeza, secagem e controle de fungos e pragas.

Se você gostou desse conteúdo e te ajudou e esclareceu suas dúvidas. Comente e compartilhe em suas redes sociais!

 

Michelly Moraes