fbpx
(31) 9 8720 -3111 [email protected]

Os feijões são mundialmente reconhecidos por sua riqueza nutricional e versatilidade culinária. O que talvez poucas pessoas não sabem é origem do feijão e sua importância econômica. Neste artigo vamos abordar tudo sobre esse assunto. Quer saber tudo sobre?

Venha comigo!

Origem do Feijão

 

O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de feijão, depois de Myanmar e Índia, respectivamente. Típico produto da alimentação brasileira, é cultivado em todas as regiões, além de ser um dos alimentos mais antigos do mundo.

Os estados do Paraná, Minas Gerais e Bahia se destacam como produtores de feijão-comum (Phaseolus vulgaris), com uma produção que corresponde a quase 50% do total nacional.

Além do papel relevante na alimentação do brasileiro, o feijão é um produto de grande importância econômica e social, principalmente por conta da mão de obra empregada durante o ciclo da cultura.

 

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

 

O que é o feijão?

Feijão é uma leguminosa e é um dos principais grãos fornecedores de proteína na alimentação dos brasileiros. Além disso, possui boas quantidades de carboidratos, substância que garante a energia necessária para o funcionamento do corpo, e é também uma ótima fonte de ferro, vitaminas do complexo B e fibras.

 

 

Ao todo existem 14 tipos de feijão disponíveis para consumo. No Brasil os mais utilizados são: carioquinha, preto, de corda, jalo, branco, rosado, fradinho, rajado e bolinha. Além deles, o azuki, o roxo, o moyashi, o verde e o vermelho, completam a lista.

O prato mais comum utilizado com o ingrediente é a tradicional feijoada, que consiste num guisado de feijão com carne, normalmente acompanhado com arroz e que caracteriza, por anos, a culinária brasileira no mundo.

 

Cultura do Feijão: importância, tipos, fenologia e seus principais manejos.

 

Importância do Feijão

A cultura do feijão é uma das mais importantes para a alimentação da população do Brasil. E para facilitar a variações do nosso clima e solos, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa, vem desenvolvendo programas de pesquisa de melhoramento genético para disponibilizar ao mercado cultivares adaptadas às diferentes condições de clima e solo do Brasil.

Diversas formas de feijão são cultivadas no mundo inteiro, mas poucos povos souberam tirar tanto proveito desse alimento como o brasileiro.

 

Importância do Feijão

 

Essa iguaria está presente na culinária dos nossos vinte e sete estados, principalmente junto com o arroz, mas também com as carnes, na forma de sopas, caldos, baião de dois, acarajé, feijão-tropeiro, dobradinha, salada, guisado, ensopado, feijoada, tutu à mineira e em muitos outros pratos.

 

Cultura do feijão: a origem do grão

São diversas as hipóteses que visam explicar a origem e domesticação do feijoeiro. Uma delas é que o feijão teria sido domesticado na Mesoamérica, há cerca de 7.000 a.C., e disseminado posteriormente pela América do Sul.

Por outro lado, achados arqueológicos de feijões domesticados na América do Sul, mais especificamente no Peru há cerca de 10.000 a.C., são indícios de que o feijoeiro teria sido domesticado na América do Sul e então levado para a América do Norte.

 

Solos no Brasil

 

Dados mais recentes sugerem a existência de três centros primários de diversidade genética do feijão, tanto para espécies silvestres como cultivadas:

  • Mesoamericano – do sudeste dos Estados Unidos até o Panamá, tendo como zonas principais o México e a Guatemala;
  • Sul dos Andes – abrange desde o norte do Peru até as províncias do noroeste da Argentina e
  • Norte dos Andes – da Colômbia e Venezuela até o norte do Peru.

Além dos centros americanos primários, podem ser identificados outros centros secundários em algumas regiões da Europa, Ásia e África.

Importância do Feijão

Os feijões estão entre os alimentos mais antigos do mundo, com seus registros diretamente associados aos primeiros registros da história da humanidade.

O antigo Egito e na Grécia eram cultuados como símbolo da vida. Também faziam parte das festas gastronômicas dos antigos romanos e sua importância para esse povo era tão grande que era utilizado como pagamento de apostas.

 

Feijão no Brasil

Por volta do século XVI, os índios chamavam o feijão de “comanda” e o comiam com farinha. Atualmente, as três espécies de feijão mais cultivadas no Brasil são:

  • Feijão-comum (Phaseolus vulgaris), também conhecido como “carioca”;
  • Feijão macassar (Vigna unguiculata), comum principalmente nas Regiões Norte e Nordeste; e
  • Feijão-guandu (Cajanus cajan), muito utilizado na alimentação de animais.

O ciclo curto da cultura possibilita o plantio de até três safras durante a temporada no Brasil. Nas Regiões Sul e Sudeste, o plantio da 1ª safra vai de agosto a dezembro, com colheita nos meses de novembro a abril.

Já nas Regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte, o plantio é de outubro a fevereiro, e a colheita, em janeiro a maio.

 

Plantio de feijão

(Fonte: Revista Rural, 2020)

 

O plantio da 2ª safra nas Regiões Sul e Sudeste vai de janeiro a abril e a colheita se dá nos meses de março a agosto. Já na Região Centro-Oeste, Norte e Nordeste, o plantio fica entre os meses de janeiro a junho, e a colheita, de março a setembro.

Por fim, o plantio nas Regiões Sul e Sudeste da 3ª safra vai de março a junho, com a colheita nos meses de junho a outubro.

 Já nas Regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, o plantio é realizado nos meses de abril a junho, e a colheita, de junho a outubro.

 

Conclusão

É indiscutível que o feijão é um produto com alta importância econômica e social no País. O produto exerce grande valor sob o ponto de vista alimentar, como alternativa econômica de exploração agrícola em pequenas propriedades e como atividade de ocupação de mão de obra menos qualificada nas diversas regiões rurais brasileiras.

Neste artigo podemos conhecer melhor sobre a origem do feijão e sua importância para alimentação e economia do pais. Então, gostaram do artigo sobre a origem do feijão?

 

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

Michelly Moraes