fbpx
(31) 9 8720 -3111 [email protected]

Estufas Agrícolas é uma forma de cultivo protegido que permite ao produtor rural uma produção mais segura e minuciosa, buscando assim atenda nichos de mercado específicos, por isso chama a atenção de pequenos, médios e grandes produtores de hortaliças e plantas ornamentais.

 

 

Em sistemas de cultivo convencional as plantas podem ser acometidas por diferentes intervenções ambientais de caráter biótico e abiótico, como a incidência de pragas e doenças, seca, congelamento, excessos de chuva, umidade relativa do ar, luminosidade e outros fatores que juntos tem atuação direta nos aspectos fisiológicos das plantas, desde seu crescimento a sua produção.

Cabe ressaltar, que cultivar em estufas requer planejamento e conhecimento desta preciosa técnica de cultivo. Para conhecer um pouco mais sobre ela, sugiro que acompanhe a leitura deste artigo.

Venha comigo!

 

O que são as estufas agrícolas e suas funções?

As estufas agrícolas são estruturas moveis ou fixas, utilizadas para a proteção de sistemas de cultivo, principalmente de flores e hortaliças.

 

Estufa para ornamentais e hortaliçasEstufa para ornamentais e hortaliças

 

Estas estruturas podem ser feitas com materiais como madeira, cloreto de polivinil flexível (PVC) e mistas (com madeira e PVC; ou com madeira e aço galvanizado), revestidas por materiais transparentes como plástico e vidros que permitem a passagem da luz solar e o controle de fatores ambientais.

Sendo assim, permite a formação de um microclima favorável ao crescimento e a produção de muitas culturas em substratos ou sistemas hidropônicos.

Nas estufas a fração difusa da radiação solar é maior que no meio externo evidenciando o efeito dispersante do plástico ou vidro, que possibilita que essa radiação chegue com maior eficiência às folhas das plantas cultivadas no seu interior, além de incrementos na temperatura, formando o “efeito estufa”.

 

Efeito de dispersão de luz e manutenção do calor

Efeito de dispersão de luz e manutenção do calor

 

As estufas podem ser classificadas quanto a sua estrutura e sua capacidade de controle dos parâmetros meteorológicos (climatizadas, semiclimatizadas e não-climatizadas).

 

Classificação quanto a automação

Estufas climatizadas: são estufas que possuem mecanismos elétricos, eletrônicos e mecânicos de acionamento automático para controle de temperatura, umidade relativa e luz. Seu emprego depende de uma exploração economicamente rentável e elevada.

Este tipo de estufa é considerado inviável, em função do seu alto custo para implantação, normalmente utilizada em instituições de pesquisas e em países desenvolvidos.

 

Pós-Graduação em Gestão e Economia do Agronegócio

 

Estufas semi-climatizadas: São estufas dotadas de determinado grau de automação como o controle de temperatura, umidade e luz, sendo também consideradas inviáveis economicamente para produção comercial de hortaliças.

Estufas não-climatizadas: São estufas que não possuem nenhum tipo de automação, apresentam viabilidade econômica e são comumente utilizadas em processo de exploração comercial para produção hortaliças e flores.

 

Classificação quanto a estrutura

 

Túneis

Podem ser baixo, médio ou alto e são comumente utilizadas para o cultivo de culturas de porte baixo, como morango.

Essas estruturas são de baixo custo e normalmente moveis, ou seja, podem ser instaladas sobre os canteiros quando necessário.

Para a confecção desta estrutura utiliza-se arcos de arame galvanizados, filme plástico transparente, barbante de algodão ou fio de ráfia.

 

Estufa modelo Túnel

 

Arcos

São comumente utilizadas por ser simples e econômica. Além disso, pode ser de teto convectivo curvilíneo e retilíneo, pode ser construída de forma artesanal ou industrial.

Com modelos modernos como Arco treliçado e dente de serra, que são espaçosas, são mais resistentes, de fácil ventilação e, portanto, redução na temperatura interna.

 

Estufa modelo Arco, não climatizada e de fabricação industrial

Estufa modelo Arco, não climatizada e de fabricação industrial

(Fonte: Embrapa clima temperado, 2005)

 

Capela

Apresenta esse nome, devido a sua semelhança a de uma pequena igreja. Esse modelo é perfeito para locais com altas discrepâncias térmicas.

Por exemplo, quando é necessário um ambiente interno frio para o cultivo de uma cultura, porém no ambiente externo é muito quente, o telhado inclinado impede que a água de condensação caia sobre as plantas.

 

Estufa modelo capela

 

Londrina

A estrutura deve sempre ser instalada com a menor dimensão (frente), no sentido da corrente do vento predominante, pois facilita-se a passagem do ar quente pela estrutura, com sua saída pela lateral que estiver na parte mais alta do terreno.

 

Cuidados para a implantação de estufas agrícolas

Para o cultivo em estufas é necessário, conhecer muito bem as espécies que serão cultivadas, como suas exigências ambientais e nutricionais.

Além de conhecer previamente o ambiente de implantação da estrutura, como localização, luminosidade, temperaturas, período de maior chuva, predominância de ventos, culturas adjacentes e permanência de uma mesma cultura.

 

Luminosidade

A luz é um dos principais fatores que limita o rendimento das espécies das plantas. No interior das estufas o revestimento pode reduzir a radiação solar incidente no interior do ambiente protegido com relação ao meio externo de 5 a 35%.

Para evitar esse entrave, o agricultor deve-se atentar para o tipo de plástico (composição química e espessura) utilizado e implantar a estrutura na direção leste-oeste.

Isso faz com que haja uma redução no sombreamento das vigas da estrutura e as mesmas se tornam mais eficientes na transmissão da radiação solar. Além disso, deve-se evitar a implantação das estufas próximo a árvores e outras estruturas que sombreie as plantas.

 

Checklist agrícola

 

Ventilação

A estufa deverá ser construída no sentido da direção dos ventos predominantes e não na direção perpendicular ao mesmo. Se esta orientação não coincidir com o eixo maior na posição Leste-Oeste, o mesmo sentido deve ser adotado para a disposição das bancadas.

 

Temperatura

A temperatura tem influência direta sob processos fisiológicos dos vegetais, em regiões frias as estufas são utilizadas para manter ambiente de cultivo aquecido.

No Brasil a realidade é outra, tornando-se necessário atenção para a escolha do tipo de estufa e a utilização de saídas de ar (lanternim e janelas zenitais), serpentinas, cortinas laterais e ventiladores para o controle de temperatura.

 

Umidade relativa do ar

A umidade do relativa do ar está vinculada ao equilíbrio hídrico das plantas e pode alterar a evapotranspiração e a capacidade do sistema radicular de absorver a água e o nutriente.

Por isso, para algumas culturas o controle pode ser de suma importância, para tal, pode ser utilizado sistemas de monitoramento e nebulização.

 

Vantagens da utilização de estufas agrícolas na agricultura

 

Foto: Phosphorland

 

A maior incidência de luz solar e a maior temperatura melhoram os processos fotossintéticos e metabólicos, concorrendo para maior crescimento e produção das plantas. Sendo assim, o uso de estufas permite o controle desses agentes edafoclimáticos. Além de proteger as plantas de pássaros e insetos.

Segundo um informe do IAC (Instituto agronômico) o cultivo de hortaliças em estufas é de grande vantagem para o produtor, isto porque, no verão as fortes chuvas danificam as hortaliças e criam condições favoráveis para o aparecimento de doenças e o frio e os ventos do inverno acabam prolongando o ciclo dessas culturas.

 

Cultura do Feijão: importância, tipos, fenologia e seus principais manejos.

 

O cultivo de plantas em estufas, melhoram a produtividade, assegura a qualidade e agregam valor a produção agrícola. Além de possibilita que os produtores ofereçam ao mercado os itens mesmo na entressafra, época em que o desenvolvimento dos cultivos ao ar livre é prejudicado.

 

Qual o custo para a implantação de estufas agrícolas?

O custo de implantação de uma estufa agrícola é elevado, mas a escolha certa da estrutura e as adoções de manejo adequado tendem a compensar o investimento, isto porque o cultivo em estufa aumenta a produtividade, a qualidade e a oferta de produtos ao longo do ano.

A viabilidade da implantação de estufas deve ser analisada por meio de cálculos financeiros, com base no gasto total de implantação, anos necessários para pagamento, safras retiradas anualmente e vida útil da estrutura.

 

Um exemplo de investimento financeiro para uma estufa de folhosa.

Um exemplo de investimento financeiro para uma estufa de folhosa.

 

A estufa modelo tem 1.008 m2, com pé direito de 5,8 m, para produção de folhosas no estado de São Paulo. O investimento inicial é estimado em R$ 55.800,00 (orçamentos de empresas do setor (ano-base 2014)).(Fonte: Hortifruti Barsil, 2014)

Nesse exemplo, para o produtor recuperar somente o investimento inicial de R$ 55.800,00 na estufa, o cultivo protegido em folhosas teria que, no mínimo, dar uma lucratividade adicional por ano de R$ 6.231,26 (produção de 1 estufa) por 15 anos.

 

Como utilizar estufas agrícolas para a formação de hortas?

O cultivo de hortaliças em estufas pode ser realizado em substrato ou solo, ou ainda sob hidropônia.

 

Cultivo em solo e substratos

A forma mais econômica de se cultivar hortaliças em estufa é a utilização do solo existente no local, desde que seja bem drenado.

 

Cultivo de morango em estufa com solo do local:

Vantagens da utilização de estufas na agricultura

 

Inicialmente, é necessária uma esterilização desse solo nas camadas mais superficiais, que normalmente é realizada com vapor (80°C por quatro horas) e uma análise de solo detalhada antes do plantio, para as correções e aplicações de fertilizantes e compostos orgânicos conforme a necessidade das plantas. Além disso, deve-se evitar fazer lavouras profundas.

 

Cultivo em hidropônia

O cultivo hidropônico em estufas pode ser realizado em areia, cascalho ou misturas artificiais de solo em sacos, tubos, banheiras, tanques ou canaletas projetadas para permitir a circulação da solução nutritiva necessária para o crescimento das plantas.

 

Cultivo hidropônico de tomate em estufa:

Cultivo hidropônico de tomate em estufa-min

 

A solução nutritiva deve ser preparada e monitorada frequentemente para atender todas as necessidades das plantas. Os produtores devem conhecimento sobre crescimento, equilíbrio de nutrientes, características dos meios de cultivo e fisiologia das plantas.

 

Conclusão

Neste artigo abordamos o conceito de estufas agrícolas, bem como os tipos de estufas, os cuidados na implantação e sua aplicação na agricultura moderna.

Esta pratica pode atender a demanda de pequenos, médios e grandes produtores rurais, pois viabiliza o cultivo de plantas em áreas com condições edafoclimáticas desfavoráveis, melhoram a produtividade, assegura a qualidade da colheita, permite o cultivo em períodos de entre-safras e agregam valor a produção agrícola.

Em caso de dúvidas o ideal é consultar um especialista da área, para melhores esclarecimentos e orientação para o planejamento de cultivos em estufas.

 

Pós-Graduação em Gestão e Economia do Agronegócio

Dinorah Moraes de Souza
Últimos posts por Dinorah Moraes de Souza (exibir todos)