fbpx
(31) 9 8720 -3111 [email protected]

Neste post vamos dar um enfoque maior no percevejo vermelho, quer saber mais sobre essa praga?

Existem vários tipos de percevejos, mas em geral, existem algumas espécies mais frequentes nas lavouras.

Alguma delas são, o Percevejo vermelho (Eurydema dominulus), percevejo verde (Nezara viridula), o pequeno (Piezodorus guildinii), marrom (Euschistus heros) e barriga-verde (Dichelopssp).

Atualmente, os percevejos são considerados uma das pragas mais agressivas para as culturas agrícolas.

Então, boa leitura!

 

PERCEVEJO VERMELHO

Foto: Ana Catarina

 

O que são os percevejos?

Os percevejos são insetos sugadores que se alimentam por meio da introdução do aparelho bucal na fonte nutricional da planta.

Na agricultura, podemos identificar como pragas, as espécies fitófagas, que se alimentam de plantas.

Em geral, elas consomem sementes, que são fontes de nutrientes com alto teor de nitrogênio.

 

avanços no manejo de praga

 

Os percevejos possuem uma fase de ovo, e depois 5 estágios de desenvolvimento como ninfas, até se tornarem adultos.

É importante salientar, que mesmo as ninfas podem causar prejuízos para a cultura agrícola, outra dificuldade em relação as ninfas é a sua visualização.

Essas acabam se localizando nas partes inferiores da cultura, sendo constatado a sua presença e os seus impactos apenas no momento da colheita.

Quer saber mais sobre o percevejo vermelho em específico?

Vejamos no próximo tópico!

 

CICLO DE DESENVILVIMENTO DO PERCEVEJO

Foto: Promip

 

Percevejo vermelho

O percevejo vermelho é uma espécie de percevejos da família Lygaeidae.

Os insetos desta espécie podem medir entre 11 e 12 milímetros de comprimento e têm asas bem desenvolvidas e patas robustas.

São fáceis de identificar graças ao seu característico padrão preto e vermelho.

Com um aspecto muito semelhante ao da joaninha, esta espécie tem manchas escuras pretas ou verde metálico e apresenta asas membranosas.

Os padrões variam, habitando terrenos abandonados ou cultivados.

Estes pequenos animais desenvolveram um eficaz mecanismo de defesa: ao armazenar os ingredientes tóxicos das plantas das quais se alimentam, não são os insetos preferidos no menu de potenciais predadores.

Vamos verificar abaixo quais danos o percevejo pode causar na lavoura.

 

Manejo Integrado de Plantas Daninhas

 

Nível de danos causados pelo percevejo nas culturas

No geral, o percevejo é capaz de sobreviver na palhada por meses sem se alimentar.

Isso é possível, graças aos nutrientes que o inseto suga das plantas durante a safra, esses nutrientes ficam armazenados no organismo por longos períodos.

Esses insetos multiplicam-se por até quatro gerações, sendo que, três se desenvolvem durante o cultivo e a quarta na pós-colheita quando o inseto se alimenta de plantas hospedeiras.

Com isso, causa distúrbios fisiológicos nas plantas, como, redução da massa de grãos, murcha e desequilíbrio na uniformidade de maturação, ocorrência de plantas verdes com retenção de folhas durante a colheita e redução de produtividade.

Em síntese, os percevejos podem causar danos que podem ser classificados em três níveis:

Leves: as folhas se apresentam com pequenos furos sem implicar em maiores problemas para a planta. Assim sendo, podem causar até 5% de perdas.

Médios: ao sofrer o ataque, as plantas podem apresentar atraso no desenvolvimento. Logo, podem gerar até 22% de perdas.

Severos: podem comprometer até 60% de perdas de produtividade.

 

Métodos de Controle

O controle de percevejos deve ser realizado de acordo com as práticas de manejo integrado.

Sendo assim, é fundamental identificar a espécie do inseto bem como o monitoramento das áreas para definição de controle.

Para exemplificar, vamos apresentar os principais métodos de controle de percevejos, não só do percevejo vermelho, mas de outras espécies também:

 

Checklist agrícola

 

Controle Químico:

O controle químico com a utilização de inseticidas pulverizados na parte aérea é considerado o método com maior nível de eficácia.

Quando empregados conforme a recomendação e aplicados sob condições favoráveis, apresentam bons resultados de controle.

Assim, o recomendado é que a aplicação seja feita em horas frescas do dia, onde a movimentação dos percevejos na planta é maior.

Até porque em horas quentes, o comum é que os insetos busquem abrigo no dossel das plantas ou na palhada, dificultando o controle.

 

Controle Biológico:

Outra alternativa é utilizar o controle biológico. Para isso, cabe ao agricultor avaliar o método mais viável.

Como medida, pode-se utilizar plantas armadilhas para manejo como a adoção de bordaduras com variedades de ciclo precoce para manejo inicial, reduzindo a pressão para as demais áreas.

Sem dúvidas, o manejo de plantas daninhas hospedeiras antes do período de semeadura é primordial para a redução da pressão de percevejos na cultura.

Assim, as plantas armadilhas serão, portanto, mais uma estratégia importante a ser considerada para o controle desse tipo de praga.

 

Controle Alternativo:

Uso de calda à base neem, pulverizada nas folhas da planta são utilizadas para o controle do percevejo.

Dessa maneira, eles devem ser preservados a partir do uso de inseticidas mais seletivos.

Além disso, também podem ser encontrados em empresas especializadas e liberados nas lavouras conforme o monitoramento.

 

Armadilhas luminosas:

A armadilha para se iniciar o controle do inseto, contribuindo na redução de populações de pragas até próximo ao nível de dano econômico, refletindo numa menor utilização de inseticidas.

O funcionamento desta armadilha fundamenta-se nas características da radiação luminosa do espectro eletromagnético.

A radiação ultravioleta é considerada a mais importante em relação à atratividade dos insetos.

O método baseia-se na interrupção do ciclo de vida do inseto no estágio adulto através de seu aprisionamento e morte na armadilha.

Assim, cada fêmea atraída e morta antes da postura representa a eliminação de centenas de ovos que eclodiriam gerando pequenas larvas, caso ocorresse a oviposição.

 

ARMADILHA LUMINOSA

Foto: ISCA

 

A importância do monitoramento do percevejo na lavoura

O monitoramento do percevejo em campo é uma análise que deve ser feita constantemente, em locais determinados da lavoura, com o intuito de detectá-los antes que causem prejuízos financeiros.

Através do monitoramento é possível saber qual a direção predominante de entrada de pragas e quais inimigos naturais estão presentes nas áreas.

Desse modo, as informações precisas e adequadas à realidade de cada lavoura, fica mais fácil para o produtor tomar a decisão sobre qual é a melhor solução de controle do percevejo na sua cultura.

E não se esqueça que o ataque das pragas atinge dois níveis: o de controle e o de dano, então fique atento!

 

Pós-graduação em Manejo Integrado de Pragas

Juliana Medina