(31) 9 8720 -3111 [email protected]

Manter o solo coberto no outono-inverno é uma alternativa benéfica para o sistema produtivo. O nabo forrageiro é uma opção que traz benefícios a mais. Além de poder descompactar o solo da sua propriedade, ele pode inibir a emergência e desenvolvimento de plantas daninhas. Neste artigo vamos abordar tudo que você agricultor precisa saber sobre esse assunto.

Acompanhe!

Nabo Forrageiro

(Fonte: Milton Brudna ‘s Blog)

 

O clima seco característico do inverno brasileiro diminui a oferta de pastagens e impossibilita a produção de algumas culturas nesta época do ano. Para contornar este problema, certas culturas são recomendadas para plantio no inverno, pois são menos exigentes em condições hídricas para seu desenvolvimento.

nabo forrageiro é uma cultura versátil que pode ser utilizada tanto para a alimentação animal, quanto para a cobertura e adubação verde do solo.

De hábito de crescimento ereto, herbáceo, é uma espécie muito vigorosa, que possui sistema radicular pivotante e auxilia para a descompactação de solos. Apesar de não fixar nitrogênio, possui elevada capacidade de reciclar nutrientes e fornece uma ótima cobertura vegetal.

Neste artigo vamos abordar tudo sobre o nabo forrageiro, afinal é fundamental que os agricultores tenha conhecimento do assunto. Vamos lá!

 

https://agropos.com.br/pos-graduacao-solos-e-nutricao-de-plantas/

 

Afinal, o que é nabo forrageiro?

O nabo forrageiro, cujo nome científico é Raphanus sativus L, é uma planta herbácea bastante vigorosa.  Ela se destaca por possuir folhas que apresentam pilosidade e, em suas extremidades, há a inflorescência de flores brancas ou roxas.

 

Nabo Forrageiro1

(Fonte: Galpão Centro oeste)

 

Essa espécie é também resistente a acidez do solo. Por isso, para que seja cultivada, não exige muito preparo do solo. Além disso, o nabo forrageiro é uma espécie que resiste bem às pragas e doenças.

 

Características agronômicas

O nabo forrageiro é uma planta muito vigorosa, em 60 dias cobre cerca de 70% do solo. O ciclo da planta é anual; o plantio ocorre entre abril e maio e o período de produção dura três meses.

O florescimento ocorre 80 dias após o plantio e a floração permanece por mais de 30 dias, mostrando-se útil à criação de abelhas, produzindo mel de boa qualidade. Aos 120 dias, já alcança a maturação e a altura da planta varia de 1 m a 1,80 m.

Usos do nabo forrageiro

O nabo forrageiro é utilizado como cobertura do solo, bem como para controle de plantas daninhas e descompactação do solo. Veja abaixo:

 

1. Descompactação do solo

Graças às vigorosas raízes pivotantes, o nabo forrageiro apresenta força para penetrar as camadas mais profundas do solo.

Independentemente de o solo estar compactado ou adensado, seu sistema radicular rompe o solo a mais de dois metros de profundidade, o que favorece a sua descompactação.

 

 

2. Produção de biocombustível

O óleo extraído do nabo forrageiro é uma opção de matéria-prima para a produção de biodiesel no Brasil, pois apresenta baixa viscosidade, o que melhora o desempenho do motor.

Além disso, possui melhor estabilidade química quando comparado ao óleo de soja e ao de girassol, diminuindo a possibilidade de eventuais degradações e formação de resíduos sólidos, se armazenado ou transportado inadequadamente.

A extração do óleo pode ser por solvente ou prensagem. Contudo, estima-se que a extração por prensagem eleva o custo do óleo em aproximadamente 10%.

O rendimento do biodiesel por hectare é de aproximadamente 280 litros, inferior a outras culturas, como soja e canola. No entanto, tem como vantagem sua utilização alternativa a óleos vegetais, considerados commodities da indústria alimentícia.

 

3. Cobertura do solo

Sua precocidade e agressividade de desenvolvimento o torna uma forrageira com grande potencial de cobertura do solo.

Ele é capaz de cobrir 70% do solo em cerca de dois meses após o plantio. Essa característica lhe permite recuperar nutrientes em profundidade, que são disponibilizados no solo.

 

4. Controle de plantas daninhas

Devido ao rápido e vigoroso crescimento, o nabo forrageiro impede o surgimento de plantas invasoras.

Com isso, os gastos com herbicidas e capinas são significativamente reduzidos, pois ele não dá chances para as plantas daninhas tomarem a área. Além de garantir solo com ótima qualidade estrutural.

 

Checklist agrícola

 

5. Concentrado para formulação de rações

O farelo e a torta originados do esmagamento dos grãos do nabo forrageiro servem como concentrado na formulação de rações para alimentação animal.

Na torta, são mais de 38% de proteína bruta, mais de 4,5% de matéria mineral, mais de 13,15% de gordura e mais de 5 mil calorias por grama de energia bruta.

 

Como plantar nabo forrageiro?

O plantio entre abril e maio, quando ainda há disponibilidade hídrica para o desenvolvimento inicial da planta, possibilita maior produção de massa.

Para o plantio, indica-se um espaçamento entre linhas de 20 cm a 40 cm, porém, quando o objetivo é a produção de grãos, o espaçamento deve ser maior.

 

Plantio de Nabo Forrageiro

Figura: galeria.ufsc.br

 

São usadas em média, 25 sementes por metro linear, com um gasto de 3 kg/ha a 15 kg/ha, dependendo do sistema de semeadura, que pode ser feito a lanço ou por plantadeiras.

As sementes de nabo forrageiro são muito pequenas e, para facilitar a semeadura, podem ser feitas algumas misturas com calcário ou superfostato simples na proporção de 1 kg de sementes para 50 kg de corretivo ou fertilizante, não necessitando, assim, de uma adubação suplementar. A mistura pode ser feita direto na plantadeira ou semeadeira.

 

Quanto a Produção

O nabo forrageiro produz 20 t/ha a 35 t/ha de massa verde, 3,5 t/ha a 8 t/ha de massa seca e 0,5t/ha a 1,5 t/ha de grãos. Os grãos possuem cor marrom-amarelada com 2 mm a 3 mm de diâmetro.

 

Produção de Nabo Forrageiro

(Fonte: Epagri, 2020)

 

O teor de óleo presente nos grãos varia de 27% a 42%, com uma média de 35%. A produtividade do óleo está em torno de 150 kg/ha a 550 kg/ha.

 

Conclusão

Como visto acima o nabo forrageiro é muito utilizado como cobertura do solo e adubação verde, na rotação e/ou sucessão de culturas e na alimentação animal.

Tendo uma grande importância na agricultura, afinal suas utilidades geram lucratividade para o produtor.

A partir dessas informações, você pode colocar em pratica o que aprendeu com esse artigo. Gostou de saber mais sobre o assunto?  Deixe seu comentário e acompanhe nosso blog e fique por dentro dos próximos artigo.

 

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

Agropós