fbpx
(31) 9 8720 -3111 [email protected]

Saber quanto dura o ciclo da soja é algo indispensável para o planejamento da safra, assim como estar ciente dos principais fatores que podem atrasar seu ciclo.

 

ciclo da soja

(Fonte: Machinefinder, 2014).

 

A cultura da soja certamente está entre a produção de grãos mais promissora que temos atualmente no país.

Não é por menos que o Brasil tem sido o maior produtor mundial de soja há alguns anos.

Sendo que na safra 2020/21 o Brasil atingiu a produção de 135,861 mil toneladas de soja. O que representa um aumento de 8,8% do produzido na safra anterior.

Resultado diretamente relacionado com o aumento tanto da área total plantada de soja quanto dos índices de produtividade que cresceram entorno de 4%.

E tudo isso por sua vez, está diretamente associado as boas decisões e planejamento quanto aos fatores que podem afetar a produtividade da soja, a exemplo do clima, adubação, doenças, manejos.

Onde a soja, assim como outras culturas, pode ser entendida como um investimento realizado a céu aberto. E sem um bom planejamento os riscos desse investimento podem ser altos.

Para isso é fundamental conhecer ou relembrar como a soja se desenvolve durante seu ciclo e quais fatores podem afeta-lo.

 

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

 

Estádios fenológicos do ciclo da soja

O estudo dos estádios fenológicos de uma planta consiste em observar e descrever detalhadamente com a planta se encontra em cada momento do seu desenvolvimento.

A junção de todos esses momentos desde a germinação a maturação dos grãos da soja irá caracterizar o seu ciclo completo.

Sendo uma ferramenta muito importante para se padronizar a comunicação entre os mais diversos profissionais que atuam no mercado da soja.

Assim todos os manejos empregados durando o ciclo da soja podem ser realizados em seu momento mais adequado e eficiente.

Pois uma falha de comunicação pode resultar em uma aplicação de um fungicida errada o que gera impactos sanitários, ambientais e econômico.

O sistema de classificação mais utilizado e detalhado dos estádios fenológicos da soja foi proposto por Ferhr e Caviness (1977).

Onde foi sugerido que o ciclo da soja fosse dividido em duas partes, a vegetativa que é representada para letra V e a fase reprodutiva com a letra R.

 

ciclo da soja

Representação esquemática dos estádios fenológicos vegetativos e reprodutivos do ciclo da soja (Dekalb, 2021).

 

Sendo esses dois momentos subdivido numericamente em etapas com exceção das duas iniciais que falaremos a seguir:

 

Estádios vegetativos do ciclo da soja

Após a semeadura da soja o primeiro estádio vegetativo do ciclo da soja vai ser o VE, onde o (E) refere-se à emergência das folhas cotiledonares da soja, onde seu nó não é considerado na contagem.

Posteriormente temos estádio VC, onde o (C) é referente a cotilédones, sendo caracterizado quando os mesmos estão totalmente expandidos e os bordos das folhas unifoliadas emergentes já não se tocam mais.

A partir desse momento os estádios vegetativos do ciclo da soja são identificados por números, levando em consideração a quantidade de nós que soja apresenta.

Em resumo:

  • VE: Cotilédones acima da superfície do solo.
  • VC: Cotilédones completamente aberto.
  • V1: Folhas unifoliadas completamente desenvolvidas.
  • V2: Primeira folha trifoliada completamente desenvolvida.
  • V3: Segunda folha trifoliada completamente desenvolvida.
  • Vn: Enésima folha trifoliada completamente desenvolvida.

 

Onde uma folha é considerada completamente desenvolvida quando os bordos da folha seguinte não se tocam mais.

 

Estádios vegetativos do ciclo da soja

Plantas de soja do estádio VC de seu ciclo (Fonte: Agcrops, 2020).

 

Estádios reprodutivos do ciclo da soja

Após a planta de soja ter emitido suas folhas, aumentado sua área fotossintética e atingido o máximo do seu crescimento vegetativo ela passa para a sua fase reprodutiva de seu ciclo.

Sendo essa parte do ciclo da soja dividia em oito etapas e que podem ser entendidas em quatro fases: florescimento (R1 e R2), desenvolvimento da vagem (R3 e R4), desenvolvimento do grão (R5 e R6) e maturação da planta (R7 e R8).

Confira a denominação e descrição de cada um desses estádios do ciclo da soja a seguir:

  • R1: Início do florescimento – Presença de uma flor aberta em qualquer nó da haste principal.
  • R2: Florescimento pleno – Flor aberta em um dos dois últimos nó da haste principal.
  • R3: Início da formação da vagem – Vagens de 5 mm de comprimento em um dos últimos quatro nós.
  • R4: Vagem completamente desenvolvida – Vagens com 2 cm de comprimento em um dos últimos quatro nós.
  • R5: Início do enchimento dos grãos – Grãos com 3 mm de comprimento em vagens dos últimos quatro nós.
  • R6: Grãos cheios – Grãos verdes preenchendo todas as cavidades das vagens dos últimos quatro nós.
  • R7: Início da maturação – Presença de vagem de coloração madura, não esverdeada.
  • R8: Maturação plena – Quando 95% das vagens apresentarem coloração de madura.

 

Dano causado pela ferrugem da soja.

 

Fatores que afetam o ciclo

Note que até o momento falamos sobre o ciclo e desenvolvimento da soja abortando mais seu caráter qualitativo.

Para conseguir entender o ciclo da soja em questões de duração é importante ser pontuado que tal característica é resultante do balanço da interação genótipo-ambiente.

Mas de modo geral a soja se desenvolver bem em ambientes de temperaturas mais elevadas, na faixa de 20ºC a 30ºC, sendo o ideal mais próximo de 30ºC.

Apresenta uma exigência hídrica que pode variar de 450 a 800 mm/ciclo. Onde condições de falta de água compromete severamente a produção, principalmente se ocorrer no momento do enchimento dos grãos.

Ou fator ambiental importante para a cultura da soja se desenvolver bem são dias de períodos de luz mais curtos.

Onde cada material genético de soja vai apresentar um fotoperíodo crítico, que acima desse limite o florescimento da será planta atrasado.

Assim como temperaturas fora da faixa ideal, ≤ 10ºC ou > 40ºC, faz com que a planta atrase o florescimento e também comprometer a qualidade dos grãos.

 

Como saber o ciclo da soja?

Certo, agora que você já sabe ou relembrou quais são as etapas de desenvolvimento presentes no ciclo da soja.

Assim como quais são os principais fatores do clima que faz com que as plantas de soja respondam de maneira diferente quanto a duração de cada uma dessas fases de seu ciclo.

 

Cultura do Feijão: importância, tipos, fenologia e seus principais manejos.

 

Fica mais fácil de compreender que a resposta para perguntas como: quanto tempo dura a safra da soja? ou qual é a época da colheita da soja? será depende.

Pois o Brasil sendo um país de proporções continentais irá apresentar uma ampla variação de suas condições climáticas para o cultivo da soja.

Não é por menos também que se teve um grande desenvolvimento de cultivares de soja, pois só assim foi possível de se realizar o cultivo de soja em praticamente em todo o Brasil.

 

Como saber o ciclo da soja

Mapa da produção de soja no Brasil safra 2018/19 (Fonte: CONAB, 2019).

 

Condições do ambiente

Assim com a finalidade de se padronizar as variações do ciclo da soja em respostas as condições do ambiente, criou-se o conceito de grupos de maturidade relativa da soja.

Onde cada cultiva irá apresentar um valor de que pode ir de zero a 10, que quanto mais próxima de 10, indica ser uma cultivar de ciclo longo e mais adaptado as condições da linha do Equador.

Onde de maneira geral o aumento de cada décimo depois do ponto vai somar de 1,5 a 2 dias no ciclo total da soja.

 

Como saber o ciclo da soja

Representação dos valores de grupos de maturidade da soja em função das diferentes latitudes do Brasil (Fonte: Sementes Germinex, 2020).

 

Muitas cultivares de soja apresentam seu valor de grupo de maturação nos primeiros dois dígitos do nome do material, por exemplo a cultivar M-SOY 8080RR a qual pertence ao grupo 8.0.

Assim de cara, você já pode imaginar que essa é um cultivar irá se adaptar bem as condições das regiões próximas a latitude de 10º.

Mas de toda forma recomendo a verificação dessa característica tão importante para se ter noção do ciclo da soja, em catálogos dos matérias da empresa ou no momento da compra da semente.

Sendo que os diversos de matérias de soja que se encontra no mercado podem variar de 100 a 160 dias necessários para se completar o ciclo da planta.

Sendo mais comumente utilizado matérias classificados precoces ou de maturação média ficando com seu ciclo entre 115 a 125 dias.

 

Conclusão

Espero que após a leitura desse artigo ficou mais esclarecido que para saber e entender o ciclo da soja vai depender da soma de vários fatores.

E de como ter esse tipo de informação na hora de realizar o planejamento pode te ajudar a otimizar a sua produtividade.

Escolhendo bem as cultivares para que se encaixe melhor as suas condições climáticas e no escalonamento das operações desde a semeadura até a colheita da soja.

Se quiser ler mais artigos como esse e de outros assuntos de seu interesse continue navegando em nosso blog. E deixe seu comentário abaixo sobre o que achou desse conteúdo.

Além de acompanhar todas as novidades através do perfil da Agropós do Instagram e outras redes sociais.

 

Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas

João Verzutti