(31) 9 8720 -3111 contato@agropos.com.br

Novas tecnologias e políticas são necessárias para atender à crescente demanda por trigo, que deverá aumentar de 50% a 60% até 2050. Essa foi a principal lição do recente International Wheat Congress (IWC) em Saskatoon, Canadá, que atraiu mais de 900 delegados de 50 países diferentes.

Dentre os participantes estavam pesquisadores do Centro Internacional de Melhoramento de Milho e Trigo (CIMMYT), do Centro Internacional de Pesquisa Agrícola no Canadá (ICARDA), a Parceria Internacional de Produção de Trigo (IWYP), o Projecto de Fornecimento de Ganho Genético na Cornell University (DGGW) e a Universidade de Saskatchewan, entre outros. Cerca de 2,5 bilhões de consumidores em 89 países já dependem do trigo como alimento básico, e espera-se que a demanda aumente significativamente à medida que a população mundial atinge 9 bilhões ou mais e 6,3 bilhões de habitantes da cidade compram alimentos de conveniência.

Leia também: Tecnologia no agronegócio: 5 tendências que você precisa conhecer
Leia também: Adoção de tecnologias já disponíveis pode aumentar produção de uvas em Mato Grosso
Leia também: Novas tecnologias para controle da mancha amarela em trigo

Com aproximadamente 15% da terra arável do planeta plantada com trigo, esse grão antigo é a cultura de alimentos básicos mais cultivados no mundo e, portanto, é fundamental para a segurança alimentar global. No entanto, o trigo enfrenta ameaças de mudanças climáticas, clima variável, doenças, predadores e muitos outros desafios.

“O fato é que entre hoje e 2030, temos 10 ciclos cada vez maiores para cultivar alimentos suficientes para alimentar mais 1 bilhão de pessoas e entre 2030 e 2050 teremos apenas 20 ciclos para cultivar alimentos suficientes para mais um bilhão de pessoas”, disse. Dra. Joyce Irene Boye, diretora geral de agricultura e agroalimentos do Departamento de Ciência e Tecnologia do Canadá, Prairie Region.

Fonte: AgroLink

ligamos para você AgroPós