(31) 9 8720 -3111 contato@agropos.com.br

melhoramento genético florestal

O melhoramento genético vegetal é um programa que conta com a seleção dos bons alelos das plantas. É importante que a elaboração do programa conte com um planejamento desenvolvido pelo melhorista. Deste modo, compreender o funcionamento da seleção genômica torna-se importante para obter resultados satisfatórios.

Genoma é a sequência completa de DNA (ácido desoxirribonucleico) de um organismo, ou seja, o conjunto de todos os genes da grande maioria dos seres vivos. A ciência que estuda o genoma, ou seja, o sequenciamento e as informações geradas é a Genômica. Ela surgiu para compreender como os genes estão organizados no genoma, sua função, regulação e interação com outros genes.

 

 

As pesquisas na área da Genômica e Biologia Molecular possibilitaram identificar os marcadores genéticos dos organismos. Eles são qualquer elemento capaz de diferenciar, prever e caracterizar um indivíduo por meio do seu genótipo e que seja capaz de reproduzir na descendência. Após a identificação, os marcadores ajudam na identificação de características de interesse, como resistência de doenças, estresses hídricos etc. Eles podem ser de microssatélites (SSR), muito usado em estudos de ancestralidade devido sua alta reprodutibilidade e fácil execução; os SNPs, que detectam mutações e polimorfismos através de alterações de uma única base no genoma; e outros.

 

melhoramento genético vegetal

Em 2001, o agrônomo e professor de bioinformática, Theodorus Meuwissen, junto a outros pesquisadores se propuseram estimar os efeitos dos marcadores genéticos nos animais.  Como resultado, surgiu a seleção genômica ampla, técnica que também é utilizada no Melhoramento genético vegetal.

Na seleção genômica ampla ocorre o prognóstico dos efeitos genéticos de diversos marcadores genéticos que se encontram dispersos no genoma do organismo. Dessa forma, é possível estimar os efeitos baseados nos dados fenotípicos da população de estimação. Após esta etapa, eles são testados em uma população de validação e, em seguida, são selecionados aqueles que contenham as informações que explicam a variância genética do caráter estudado. Por fim, a informação é incorporada à etapa de seleção do programa de melhoramento genético vegetal. O ponto chave da análise destes marcadores é a estimação dos efeitos, uma vez que o número de parâmetros que precisam ser estimados é muito superior ao número de observações fenotípicas disponíveis.

No melhoramento genético vegetal é fundamental a escolha de alelos favoráveis que possibilitem o desenvolvimento de cultivares resistentes ou tolerantes às adversidades. A seleção genômica, dessa forma, auxilia na identificação dos marcadores genéticos e possibilita ao melhorista estimar os efeitos em uma população de larga escala.

Torne-se um especialista realizando o curso de Melhoramento Genético em Culturas Agronômicas ou o de Melhoramento Genético Florestal, ambos oferecidos pela AgroPós!

Fontes: JÚNIOR, Márcio Fernando Ribeiro de Resende. Seleção genômica ampla no melhoramento vegetal. Dissertação. Programa de Pós-graduação em Genética e Melhoramento, Universidade Federal de Viçosa, 2010.

ligamos para você AgroPós