(31) 9 8720 -3111 contato@agropos.com.br

A broca do café é considerada uma das pragas de maior impacto econômico para cafeicultura brasileira.

Algumas medidas simples podem ser adotadas pelo produtor para evitar prejuízos e impactos negativos na qualidade do café.

Vamos agora conhecer melhor essa praga e quais medidas podem ser tomadas para seu controle, evitando a queda da produtividade da sua lavoura.

 

Broca-do-café: Aprenda como controlar para aumentar a produtividade

Foto: Paulo Rebelles

O que é a broca do café?

A broca do café (Hypothenemus hampei) é um besouro, as fêmeas adultas medem aproximadamente 1,7mm de comprimento e 0,7mm de largura, são elas que atacam a coroa do fruto, perfuram os grãos e ali depositam seus ovos.

As larvas que nascem desses ovos se alimentam dos grãos do café, o que os danifica ou destrói completamente.

Essa praga tem sua origem na África, assim como o cultivo do café, sendo observada aqui no Brasil pela primeira vez em 1913 no estado de São Paulo.

Sua disseminação pela regiões cafeeiras do país se deu de maneira bem acelerada se tornando uma das principais pragas que acomete o lavoura de café.

Broca do café: Prejuízos na produção

De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), as perdas em peso podem chegar a 20% em momentos de alta infestação.

Assim como, havendo também, perda na qualidade devido ao aumento do número de grãos brocados, o que deprecia o produto durante a classificação física.

Essa praga é considerada importante, uma vez que ela ataca os frutos em qualquer estágio de maturação, inclusive grão já seco, causando grandes prejuízos na produtividade da lavoura.

https://materiais.agropos.com.br/ebook-tecnologias-que-agregam-qualidade-a-pulverizacao

Comportamento da broca do café

Primeiramente, a broca sobrevive e se multiplica entre uma safra para outra, nos frutos que ficam na planta ou no solo.

Os machos da broca sobrevivem dentro dos frutos, tendo a função de apenas de fecundar as fêmeas. As fêmeas vivem em torno de 156 dias e ao serem fecundadas saem em busca dos frutos para colocar seus ovos.

 Porém, os frutos na fase que apresentam em torno de 86% de umidade não apresentam condições favoráveis para o desenvolvimento de suas larvas, pois as sementes encontram-se com elevada umidade.

Dessa forma, a fêmea apenas realiza uma marcação nos frutos e após 50 dias quando as condições já estão favoráveis para o desenvolvimento das larvas, as brocas voltam nesse mesmo fruto e realizam a postura.

Comportamento da broca-do-café

Foto: Coopercam

Como monitorar broca do café

Para que o controle da broca seja eficiente, ele deve ser iniciado na época correta, devem ser efetuadas amostragens periódicas dos frutos, nos diversos talhões da lavoura, começando pelas partes mais baixas e úmidas.

https://materiais.agropos.com.br/checklist-software-agricola

Nesse sentido, é recomendável que o monitoramento da broca seja iniciado entre novembro a janeiro, aproximadamente três meses após a grande florada (outubro), quando forem observados nas rosetas os primeiros frutos broqueados.

Esse acompanhamento deve ser realizado até o mês de abril.

O monitoramento da broca pode ser feito por meio da contagem de frutos ou utilizando armadilhas.

É realizada a contagem dos frutos pela avaliação de 20 plantas/hectare, em “zigue-zague”, como demonstrado na figura abaixo.

Como monitorar broca-do-café

Fonte: Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)

Ao avaliar as plantas, deve-se coletar uma amostra de 100 frutos/planta e realizar a contagem dos grãos brocados e não brocados.

Já no monitoramento por armadilha, deve-se utilizar 1 armadilha/hectare com cairomônio (semioquímicos envolvidos nas interações interespecíficas dos insetos).

O controle será adotado se caso o percentual de frutos brocados exceda a 3%, para o método de contagem.

Já para o método de amostragem por armadilha, ele será feito caso seja verificada uma média de insetos adultos/armadilha superior a 100.

Condições que favorecem a praga

A ocorrência de chuva no inverno, os cultivos adensados, baixa incidência de luz e pouco arejamento são condições que favorecem o desenvolvimento dessa praga.

Qualquer manejo que visa à alteração dessas condições será benéfico no controle da broca do café.

Por isso que é de suma importância o conhecimento de um controle eficiente da praga. Agora veremos como realizar esse controle na sua lavoura de café.

Controle da broca do café

Atualmente, para o controle da broca do café, o mais utilizado é o controle químico, porém não tem apresentado boa eficiência e vem causando problemas de resistência e desequilíbrio do meio ambiente.

Por isso, a utilização do manejo integrado de pragas (MIP) se torna mais eficiente. Essa é uma estratégia de controle múltiplo que se fundamenta no monitoramento das populações para tomada de decisão adequada.

https://agropos.com.br/pos-graduacao-em-avancos-no-manejo-integrado-de-pragas/

Dessa forma, a utilização do controle biológico, cultural e químico torna-se uma ferramenta eficaz no controle de pragas nas lavouras cafeeiras.

Vejamos cada uma das maneiras de controle da broca do café separadamente.

Controle Biológico

O controle biológico é um método de combater pragas agrícolas através da utilização de seus inimigos naturais, que podem ser insetos predadores, parasitoides e microrganismos (fungos, bactérias ou vírus).

Os fungos entomopatogênicos são agentes de controle de inúmeras pragas, como a broca do café.

Dentre os diferentes agentes de controle natural da broca está o fungo Beauveria bassiana, existem vários estudos descrevendo a eficiência desse fungo no combate da broca em campo.

Logo, uma imagem demonstra como o fungo infecta a broca do café.

Controle Biológico

Foto: Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)

Controle químico convencional

Como o ataque da broca não se distribui uniformemente, recomenda-se o controle apenas para os talhões em que a infestação da praga já tenha atingido 3 a 5%.

Agindo dessa forma, evitam-se gastos desnecessários com mão de obra e inseticida, como também, tem-se uma diminuição dos problemas relacionados ao uso do produto.

Mesmo após a aplicação do inseticida, o monitoramento deve continuar, e quando a infestação alcançar o nível de controle, pulverizar novamente, respeitando o período de carência do produto usado.

Controle químico convencional

Foto: Jacto

Para a execução do controle químico se deve obedecer alguns cuidados, são eles:

  • Usar equipamento de proteção individual (EPI);
  • Utilizar produtos registrados no MAPA;
  • Fazer rotação de princípio ativo;
  • Respeitar a dose recomendada e período de carência.

Controle cultural

Controle cultural

Considerado o mais eficiente método de controle da broca do café, o controle cultural realizado de forma adequada, consegue alcançar resultado bastante positivo no controle da praga.

Onde podemos destacar as seguintes formas de manejo:

  1. Plantio do cafeeiro em espaçamentos que permitam maior arejamento e penetração de luz, condições essas que são desfavoráveis à praga, além de permitir a circulação de pulverizadores acoplados a tratores.
  2. Eliminação de cafezais velhos e abandonados, nos quais a broca encontra abrigo e se multiplica livremente.
  3. A colheita deve ser sempre iniciada nos talhões que apresentem os cafeeiros mais infestados, a fim de que sejam evitados maiores prejuízos.
  4. Por fim, deve ser realizada de uma colheita bem feita, evitando que fiquem frutos nas plantas e no chão, em que a broca poderá sobreviver na entressafra.

Contudo, deve ser realizado um repasse na lavoura, se necessário, para evitar a sobrevivência dessa praga e que passe para os frutos novos da próxima safra.

http://materiais.agropos.com.br/webinar-recuperacao-de-areas-degradadas

Controle comportamental

Esse controle se dá por meio de armadilhas alternativas, podendo ser construídas com garrafas pet.

A substância que atrai os insetos pode ser feita com a mistura de 1:3 de etanol e metanol, acrescida de 1% de ácido benzoico.

Para o controle eficiente recomenda-se a utilização de 30 armadilhas por hectare. A substância atraente deve ser substituída a cada duas semanas.

Portanto, esse tipo de controle é mais eficaz a sua utilização em propriedades menores.

Importância do controle da broca do café

Nós vimos nesse artigo que a broca do café é considerada uma das pragas de maior impacto econômico para cafeicultura brasileira e de como é importante o manejo adequado da lavoura.

Atualmente, estudos relatam que a maneira mais eficaz de manter a praga da broca do café sob baixa incidência é a utilização de manejo integrado de pragas (MIP), ou seja, estratégia de controle múltiplo que se fundamenta no monitoramento das populações para tomada de decisão adequada.

Dessa forma, espero ter contribuído para aprimorar os resultados no manejo do sua lavoura, assim, conquistando resultados incríveis de produtividade e de qualidade do seu café.

Deixo abaixo um vídeo produzido pelo Sistema FAEMG com as principais informações sobre a broca do café que provoca perdas na produção cafeeira. Assista!

Escrito por Juliana Martins Medina.

Juliana Medina
ligamos para você AgroPós